Topo

Ataque a tiros em Ohio deixa ao menos 10 mortos; é o segundo nos EUA em 24h

Do UOL, em São Paulo*

04/08/2019 04h28Atualizada em 04/08/2019 14h49

Pelo menos dez pessoas morreram e 27 ficaram feridas após um ataque a tiros perto do centro da cidade americana de Dayton, no estado de Ohio, centro-leste dos Estados Unidos. A informação sobre o número de vítimas foi atualizada nesta manhã pela prefeita da cidade, Nan Whaley.

Dos 27 feridos, 15 já foram liberados, segundo ela. Muitos foram atingidos por balas, mas alguns tiveram outros ferimentos, como cortes, tentando fugir do local, de acordo com a CNN.

Este é o segundo ataque a tiros nos EUA em menos de 24 horas: o primeiro ocorreu em um supermercado de El Paso, no Texas, e matou pelo menos 20 pessoas na tarde de sábado. Há uma semana, quatro pessoas morreram, incluindo o atirador de 19 anos, em um ataque em um festival gastronômico ao ar livre em Gilroy, na Califórnia.

O incidente deste domingo ocorreu por volta da 1h (horário local) na Rua East 5th, no distrito de Oregon, uma área popular no centro da cidade, segundo a autoridade policial Matt Carper. Ele informou ainda que o suspeito foi baleado e morto por policiais. Nenhum oficial ficou ferido no confronto, de acordo com ele.

"É um incidente muito trágico e estamos fazendo todo o possível para investigar e tentar identificar a motivação do tiroteio", disse o policial. O FBI está auxiliando na investigação.

Em entrevista na manhã deste domingo, a prefeita de Dayton afirmou que o atirador foi morto "em menos de um minuto", e que ele usou uma arma calibre .223 com alta capacidade de munição, além de carregar cartuchos adicionais e usar colete à prova de balas.

O senador Sherrod Brown afirmou, em entrevista à CNN, que o atirador era um "homem jovem e branco", após ter conversado com a prefeita.

Polícia trabalha no local do tiroteio em Dayton, que deixou dez mortos, incluindo o atirador - Derek Myers/Twitter/AFP
Polícia trabalha no local do tiroteio em Dayton, que deixou dez mortos, incluindo o atirador
Imagem: Derek Myers/Twitter/AFP

Carper afirmou que o distrito de Oregon é "uma parte muito segura do centro" de Dayton, muito popular e visitado.

Embora muitas pessoas tenham sido mortas ou feridas, ele disse que o incidente acabou rapidamente, porque os policiais já estavam patrulhando na vizinhança quando os tiros começaram. "Felizmente contávamos com muitos agentes nas imediações quando começou o incidente. Assim, a violência durou pouco tempo".

A polícia acredita que o suspeito agiu sozinho, mas o tenente-coronel indicou que testemunhas estão sendo interrogadas para determinar se há mais alguém envolvido no ataque.

O Hospital de Miami Valley teria recebido 16 vítimas do ataque a tiros, segundo o departamento de comunicação informou à CNN, mas o contato com outras redes de hospitais indicam que o número de feridos deve ser maior.

"Coração está partido", diz prefeita

A prefeita de Dayton lamentou o incidente. "Estou de coração partido. Agradeço a quem agiu rapidamente", afirmou Nan Whaley, em post no Twitter.

Em comunicado enviado à imprensa, o governador de Ohio, Mike DeWine, cobrou uma rápida resposta das autoridades sobre a autoria do crime. "Eu parabenizei a polícia de Dayton e os primeiros que agiram com bravura e rápida resposta para salvar vidas e encerrar este ataque", disse o político.

Trump homenageia vítimas

O presidente dos EUA, Donald Trump, ordenou que todas as bandeiras de edifícios federais do país permaneçam hasteadas a meio mastro "em respeito solene" pelas vítimas dos dois tiroteios.

"Nossa nação chora com aqueles cujos entes queridos foram assassinados nos trágicos tiroteios de El Paso, Texas, e Dayton, Ohio, e compartilhamos a dor e o sofrimento de todos aqueles que foram feridos nesses dois ataques sem sentido", disse Trump em uma proclamação divulgada pela Casa Branca.

"Condenamos estes atos odiosos e covardes", acrescentou.

Trump passou o final de semana na sua residência privada de Bedminster, em Nova Jersey, e a expectativa é que retorne a Washington nesta tarde.

Por meio do Twitter, o presidente dos EUA também elogiou a resposta rápida e afirmou que o FBI e as autoridades locais estão trabalhando juntos em El Paso e Dayton.

Mais cedo, Trump lamentou o incidente em El Paso, dizendo que não foi apenas trágico, mas um "ato de covardia".

"Eu estou com todos neste país para condenar o ato odioso de hoje. Não há razões ou desculpas que irão justificar o assassinato de pessoas inocentes", afirmou o presidente americano.

O papa Francisco lamentou na manhã de hoje os três ataques ocorridos nos EUA no período de uma semana. "Queridos irmãos e irmãs, sou espiritualmente próximo às vítimas de episódios de violência que nestes dias ensanguentaram o Texas, a Califórnia e Ohio", nos Estados Unidos, contra pessoas desarmadas", declarou Francisco após a oração do Angelus.

O papa pediu então às centenas de fiéis que lhe escutavam da praça de São Pedro para unir-se à sua oração "por todos os que perderam a vida, os feridos e seus familiares". Em seguida, permaneceu em silêncio por alguns instantes para orar da janela do Palácio Apostólico, onde reza o Angelus a cada domingo, e depois rezou uma Ave Maria.

*Com agências de notícias

Mais Internacional