Topo

Lula fará queixa na ONU e diz que Bolsonaro violou direitos em discurso

O presidente da República Jair Bolsonaro fala durante abertura da 74ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova York nos Estados Unidos nesta terça-feira, 24. - William Volcov/Brazil Photo Press/Folhapress
O presidente da República Jair Bolsonaro fala durante abertura da 74ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova York nos Estados Unidos nesta terça-feira, 24. Imagem: William Volcov/Brazil Photo Press/Folhapress

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

24/09/2019 20h44Atualizada em 25/09/2019 00h22

Resumo da notícia

  • Defesa de Lula se queixou do discurso de Bolsonaro na ONU
  • Bolsonaro falou que presidentes anteriores desviaram bilhões de dólares e foram punidos
  • Para advogados de Lula, fala viola princípio de presunção da inocência

A defesa de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) acusou nesta noite o presidente Jair Bolsonaro (PSL) de desrespeitar, hoje de manhã, a Constituição Federal brasileira durante o discurso de abertura da Assembleia Geral da ONU. Os advogados afirmaram também que levarão o caso ao Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas.

"Há pouco, presidentes socialistas que me antecederam desviaram centenas de bilhões de dólares comprando parte da mídia e do parlamento, tudo por um projeto de poder absoluto. Foram julgados e punidos graças ao patriotismo, perseverança e coragem de um juiz que é símbolo no meu país, o Dr. Sergio Moro, nosso atual Ministro da Justiça e Segurança Pública", disse Bolsonaro em Nova York, mais cedo.

Para a defesa do ex-presidente, a fala "ignora o princípio da presunção de inocência".

"Não há qualquer decisão judicial condenatória definitiva contra Lula que permita afastar essa garantia constitucional da presunção de inocência por qualquer órgão do Estado Brasileiro", diz o texto assinado pelos advogados de Lula.

A defesa de Lula afirmou que já acionou a ONU para reclamar de que o julgamento do ex-presidente, segundo a visão dos advogados do petista, não foi "justo, imparcial e independente".

As polêmicas do discurso de Bolsonaro na ONU

UOL Notícias

"Levaremos ao Comitê de Direitos Humanos da ONU o teor desse pronunciamento, juntamente com outros fatos novos", escreveram os advogados que defendem Lula.

Questionada pela reportagem, a assessoria do Planalto ainda não se manifestou sobre as queixas da defesa de Lula. O posicionamento será incluído no texto, se enviado.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado no últimos parágrafo desta matéria, a assessoria do Planalto não se manifestou sobre as queixas da defesa de Lula, e não de Bolsonaro. A informação já foi corrigida.

Mais Internacional