PUBLICIDADE
Topo

Polícia de Londres mata suspeito após ataque com faca que fez duas vítimas

Do UOL, em São Paulo*

29/11/2019 11h32Atualizada em 29/11/2019 17h30

Um ataque na London Bridge provocou pânico e correria na manhã de hoje na região central da capital inglesa. A Polícia Metropolitana de Londres informou que foi acionada às 13h58 (no horário local) para atender um chamado envolvendo um esfaqueamento nas proximidades, que deixou duas pessoas mortas. Segundo o canal de televisão Sky News, que cita fontes policiais, um homem foi morto pela polícia armada após esfaquear várias pessoas.

Um vídeo gravado por pessoas que estavam no local mostra o momento em que cerca de dez homens imobilizam o suspeito — e conseguem tirar a faca dele — até a chegada de três policiais armados. Os homens, um a um, são retirados pelos policiais, que apontam as armas para o suspeito, aparentemente, à queima-roupa, enquanto gritam para que os civis se afastem. Tiros são disparados contra o homem caído no chão

Posteriormente, a polícia confirmou que um de seus agentes efetuou o disparo e que o suspeito foi morto por oficiais armados da Polícia de Londres. O incidente será investigado pelo Independent Office for Police Conduct, que, de acordo com a lei, deve examinar todos os casos de tiros disparados pela polícia.

Em seu perfil no Twitter, as autoridades indicaram que "várias pessoas ficaram feridas" em decorrência do ataque e um suspeito foi detido. O jornal "The Guardian" informou que cinco pessoas ficaram feridas, algumas delas "em estado grave". A polícia bloqueou o acesso à ponte, onde um caminhão está parado no meio da pista. Várias ambulâncias foram enviadas ao local.

A polícia ainda não tem nenhuma pista sobre a motivação do ataque, mas vem tratando o caso "como se estivesse relacionado ao terrorismo, por precaução". A unidade antiterrorismo já foi acionada e está comandando as investigações. As patrulhas policiais serão intensificadas em Londres e no resto do Reino Unido.

Segundo o "The Guardian", o suspeito estava usando um colete suicida falso — os supostos explosivos foram analisados por uma equipe especializada, que atestou que os artefatos não eram bombas, segundo o comissário assistente Neil Basu.

Uma usuária do Twitter identificada como Amanda Hunter, que estava em um ônibus no momento do incidente, gravou um vídeo que mostra policiais armados em ação. Depois, ela concedeu entrevista à BBC News e falou sobre o ocorrido.

"Eu estava voltando para casa no ônibus e ele parou de repente. Houve uma comoção e eu olhei pela janela e vi esses três policiais indo até um homem. Parecia que havia algo em sua mão. Não tenho 100% de certeza, mas um dos policiais atirou nele. A partir daí, eu comecei a filmar. Ficamos presos no ônibus por cerca de um minuto e meio e então conseguimos sair da ponte com segurança", revelou a jovem, que deu mais detalhes sobre a ação:

"Só tinham três policiais no momento, mas conforme fui saindo da ponte, comecei a ouvir as sirenes. Eu ouvi três tiros disparados para tentarem acertar o homem. Todo mundo estava meio em estado de choque", declarou Amanda, que registrou o vídeo abaixo.

Após os tiros, a correria

Testemunhas contaram ao canal Sky News que correram após ouvir tiros. Na rede social, já circulam diversos vídeos do tumulto. É possível ver as pessoas correndo e carros tentando dar a volta para sair da ponte, enquanto policiais se deslocam para atender a ocorrência.

Segundo a BBC News, o sistema de transportes britânico fechou a estação de metrô que fica no local e nenhum trem terá permissão de parar lá.

Policiais isolam a London Bridge após ataque na manhã de hoje - Peter Nicholls/Reuters
Policiais isolam a London Bridge após ataque na manhã de hoje
Imagem: Peter Nicholls/Reuters

Autoridades elogiam população

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, usou seu perfil no Twitter para agradecer a polícia e mandar condolências às famílias dos feridos. "Quero agradecer aos serviços de emergência e aos membros da população por sua imensa coragem em responder a esse suposto ataque terrorista na London Bridge. Este é um incidente terrível e todos os meus pensamentos estão com as vítimas e suas famílias."

"Estou sendo atualizado sobre o incidente na London Bridge e gostaria de agradecer a polícia e todos os serviços de emergência pela sua resposta imediata", publicou em sua conta no Twitter.

A ministra do Interior, Priti Patel, também usou seu perfil no Twitter para comentar o caso e disse estar "muito preocupada".

"Muito preocupada com o incidente em andamento na London Bridge. Meus pensamentos estão com todos os afetados. Sou grata pela rápida resposta da nossa polícia e imploro que todos sigam suas orientações."

O prefeito de Londres Sadiq Khan elogiou o "heroísmo de tirar o fôlego" das pessoas que atacaram o suspeito. Ele acrescentou: "Também gostaria de agradecer aos membros da população que arriscaram sua própria segurança esta tarde ... eles são os melhores de nós. Devemos e permaneceremos unidos e resolutos diante do terror. Aqueles que procuram nos atacar e nos dividir nunca terão sucesso."

Khan disse, ainda, que o nível de ameaça ao terrorismo - que foi recentemente rebaixado - será constantemente revisado.

A Casa Branca também se manifestou sobre o ataque: "Os Estados Unidos condenam veementemente todos os atos horríveis de violência contra pessoas inocentes, e prometemos todo o nosso apoio ao nosso aliado, o Reino Unido".

London Bridge foi palco de atentado em 2017

Em junho de 2017, uma caminhonete atingiu a multidão na London Bridge, que atravessa o Tâmisa, antes de seus três ocupantes esfaquearem os transeuntes no Borough Market. O balanço foi de oito mortos e 50 feridos. Aquele foi um dos ataques reivindicados pelo grupo jihadista do Estado Islâmico (EI) que atingiu o Reino Unido naquele ano.

Em março de 2017, um homem jogou seu veículo contra a multidão na ponte de Westminster antes de esfaquear um policial em frente ao Parlamento, matando um total de cinco pessoas. Dois meses depois, 22 pessoas - incluindo crianças - foram mortas em um ataque no final de um show da Ariana Grande em Manchester.

No início de novembro, o nível de alerta terrorista no Reino Unido foi de "sério" para "substancial", o risco de um ataque agora deve ser considerado "provável" e não "altamente provável", conforme havia anunciado Priti Patel.

*Com ANSA e AFP

Internacional