PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Cadeias nos EUA começam a soltar prisioneiros por medo do covid-19

Coronavírus: homem caminha usando máscara em zona de compras de Nova York, nos Estados Unidos - Andrew Kelly/Reuters
Coronavírus: homem caminha usando máscara em zona de compras de Nova York, nos Estados Unidos Imagem: Andrew Kelly/Reuters

Do UOL, em São Paulo

19/03/2020 18h54

Prisões em Los Angeles e Nova York estão soltando prisioneiros "vulneráveis" para conter os casos de covid-19 nas cadeias dos Estados Unidos.

Os defensores da reforma penitenciária afirmaram que os presos estão em maior risco de pegar e transmitir a doença do coronavírus, informou a BBC.

Houve mais de 9.400 casos de Covid-19 e 152 mortes nos EUA até agora, segundo estimativas. No mundo, existem cerca de 220.000 casos confirmados e mais de 8.800 mortes.

O prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio, disse ontem que as autoridades da cidade identificarão nesta semana indivíduos para libertação, incluindo pessoas que foram presas por crimes menores e as mais vulneráveis à doença.

O anúncio foi feito depois que um guarda e um prisioneiro foram diagnosticado positivo para o coronavírus na prisão de .Rikers Island, onde o ex-produtor Harvey Weinstein está preso.

Weinstein será transferido para uma prisão estadual diferente. Outras prisões de Nova York também tiveram prisioneiros que testaram positivo para coronavírus.

A polícia de Los Angeles conseguiu tirar 600 pessoas presas nos últimos dias, disseram autoridades.

"Nossos prisioneiros são vulneráveis, exatamente por quem eles são e onde estão localizados. Por isso, estamos protegendo essa população de possíveis exposições", disse o xerife Alex Villanueva nesta semana.

Coronavírus