PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Esse conteúdo é antigo

Kim Jong-un está 'vivo e bem', diz porta-voz da Coreia do Sul

Do UOL, em São Paulo

26/04/2020 15h29

Um porta-voz do presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, disse hoje para a Fox News que a posição oficial de seu governo é que o ditador da vizinha Coreia do Norte, Kim Jong-Un, está "vivo e bem" em meio a especulações de que ele estaria morto ou com morte cerebral.

"Nossa posição no governo é firme", disse Chung-in Moon, consultor de política externa do presidente sul-coreano."Kim Jong Un está vivo e bem. Ele está na área de Wonsan desde 13 de abril. Até agora, nenhum movimento suspeito foi detectado."

A Business Insider informou hoje também que agências de inteligência dos EUA e da Coreia do Sul não acreditam que o ditador norte-coreano esteja morto, apesar dos rumores que circulam há mais de uma semana.

As suspeitas sobre uma possível piora da saúde do líder começaram na semana passada, quando Kim faltou a um dos mais importantes feriados nacionais da Coreia do Norte, e ganharam força após a publicação da rede de televisão norte-americana CNN na última segunda (20) de que ele estaria em "estado grave".

Um trem, que provavelmente pertence ao líder norte-coreano, foi localizado em fotos tiradas por um satélite em um balneário no leste da Coreia do Norte, segundo o site americano 38North, especializado em assuntos coreanos.

O trem aparece nas fotos nos dias 21 e 23 de abril em uma estação reservada para a família Kim, segundo o site em um artigo divulgado ontem à noite.

O 38North explica que a presença desse trem "não prova nada em relação ao local onde o líder norte-coreano está, nem indica nada sobre seu estado de saúde".

Nesta semana, uma correspondente da rede de televisão norte-americana "NBC", Katy Tur, já tinha chegado a publicar em seu Twitter que o ditador havia sofrido morte cerebral, mas apagou a publicação pouco depois.

Recentemente, a mídia internacional informou que a China enviou uma equipe médica a seus vizinhos comunistas para verificar o estado de saúde de Kim.

Até então, a notícia tinha repercutido mais no Ocidente. Com regime fechado, a Coreia do Norte não costuma divulgar boletins com informações sobre o estado de saúde de Kim nem reportou qualquer mudança em seu regime.

Rumores sobre saúde surgiram com ausência em feriado

Os rumores sobre a saúde dele ganharam força no último dia 15, durante a comemoração de aniversário de Kim Il-Sung, avô de Kim, morto em 1994. Fundador do país, ele é até hoje considerado o líder supremo da nação e a data é um dos principais feriados do país.

Foi a primeira vez que Kim, como líder, faltou à comemoração. Na época, especulou-se que ele estaria se protegendo do novo coronavírus, mas, na última segunda, o correspondente Brian Stelter, da "CNN", divulgou que ele estaria internado "em estado grave".

A fonte, segundo Stelter, seria uma descoberta do Departamento de Inteligência dos Estados Unidos. O governo norte-americano não confirmou oficialmente a informação.

Os rumores também foram fomentados pelo sumiço de Kim na mídia estatal. De acordo com o jornal "The New York Times", a última aparição do líder em veículos oficiais foi no último dia 11.

A explicação para o sumiço, segundo o "Daily NK", portal norte-coreano administrado por exilados do país com base na Coreia do Sul, foi que o líder estaria se recuperando de um procedimento cardiovascular realizado no dia 12 de abril, em uma casa no campo.

Internacional