PUBLICIDADE
Topo

EUA não vão mais considerar Hong Kong como autônoma da China, diz Pompeo

Mike Pompeo, secretário de estado dos EUA - HANNIBAL HANSCHKE / REUTERS
Mike Pompeo, secretário de estado dos EUA Imagem: HANNIBAL HANSCHKE / REUTERS

Do UOL, em São Paulo

27/05/2020 14h21

O secretário de estado dos EUA, Mike Pompeo, anunciou hoje que o governo do país não vai mais tratar Hong Kong como uma região autônoma da China. A informação é da CNN.

A avaliação do departamento de estado foi transmitida ao congresso norte-americano, e pode resultar nos EUA perdendo o status de parceiro comercial de Hong Kong, além de afetar gravemente a reputação da região como centro financeiro.

Mudanças recentes na situação

Em seu anúncio, Pompeo citou uma nova legislação introduzida pelo parlamento chinês, que restringiria significativamente liberdades civis e de expressão em Hong Kong. O secretário de estado chamou a legislação de "desastrosa".

"Nenhuma pessoa razoável pode dizer que, hoje, Hong Kong mantém um grau alto de autonomia da China", explicou.

"Após cuidadoso estudo dos desenvolvimentos recentes, eu certifiquei ao congresso que Kong Kong não deve continuar a ter tratamento na lei norte-americana igual ao que vem recebendo desde julho de 1997", disse ainda.

'Um país, dois sistemas'

A data citada por Pompeo marca a implantação do esquema batizado de "um país, dois sistemas", em que a região de Honk Kong ganhou direito a uma democracia separada do governo chinês e à elaboração de suas próprias leis.

A introdução da legislação citada por Pompeo provocou protestos por toda a região de Hong Kong e foi denunciada por organizações internacionais.

Internacional