PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Jornal de Tulsa pede que Trump cancele comício eleitoral devido à pandemia

Presidente dos EUA, Donald Trump, em Dallas -
Presidente dos EUA, Donald Trump, em Dallas

Do UOL, em São Paulo

15/06/2020 12h46

Um dos principais jornais de Tulsa, cidade norte-americana escolhida pelo presidente Donald Trump para o comício de abertura de sua campanha para a reeleição, publicou um editorial hoje pedindo que o evento seja cancelado devido à pandemia do novo coronavírus. Os Estados Unidos é o país com mais casos confirmados no mundo, superando os dois milhões.

No editorial, o jornal "Tulsa World" apoia o pedido feito pelo diretor de saúde pública de Tulsa, Bruce Dart, que afirmou que o evento marcado para o próximo sábado, dia 20, seria um risco para cidade. "Não sabemos porque ele escolheu Tulsa, mas não vemos como essa visita pode ser benéfica para a cidade", diz a publicação no texto intitulado "Esta é a hora errada e Tulsa é o lugar errado para o comício de Trump".

"Tulsa ainda está lidando com os desafios criados pela pandemia. A cidade e o estado autorizaram a reabertura, mas isso não faz de uma reunião com um grande número de pessoas em local fechado uma boa ideia. Não há tratamento para a covid-19 e nenhuma vacina. Será o nosso sistema de saúde que terá que lidar com os efeitos que se seguirem", diz outro trecho do artigo.

No final de semana, Bruce Dart declarou que estava preocupado com a "capacidade da cidade em "garantir que o presidente permaneça seguro". 'Gostaria que isso pudesse ser adiado para um momento em que o vírus não fosse uma preocupação tão grande como é hoje".

A organização da campanha do republicano pedirá que os participantes do comício assinem um termo dizendo que não responsabilizarão o evento caso sejam infectados pela covid-19.

Trump anunciou a retomada dos comícios eleitorais em cinco estados - Texas, Flórida, Arizona, Carolina do Norte e Oklahoma - após três meses de paralisação devido à Covid-19. O primeiro evento eleitoral será no sábado em Tulsa, Oklahoma.

Inicialmente, o evento em Tulsa estava marcado para o dia 19, sexta-feira, data em que se comemora o fim da escravidão nos EUA. A escolha gerou fortes críticas devido ao momento do país em meio aos protestos antirracistas, e a campanha mudou a data para sábado.

Coronavírus