PUBLICIDADE
Topo

Presidente da Argentina deseja 'rápida recuperação' a Bolsonaro

Presidente da Argentina, Alberto Fernández pediu que a pandemia seja uma oportunidade para uma releitura do sistema capitalista - Ricardo Ceppi/Getty Images
Presidente da Argentina, Alberto Fernández pediu que a pandemia seja uma oportunidade para uma releitura do sistema capitalista Imagem: Ricardo Ceppi/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

07/07/2020 15h43Atualizada em 07/07/2020 16h27

Pouco depois de o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) informar que foi diagnosticado com o novo coronavírus, o presidente da Argentina, Alberto Fernández, enviou uma mensagem desejando uma "rápida recuperação" ao presidente. A informação é do jornal Clarín.

"Tenho a impressão de que tivemos que viver um tempo único. Às vezes, como é uma coisa diária, perdemos a dimensão da gravidade do momento em que vivemos. É único por causa dos resultados. Acabei de enviar uma nota desejando uma rápida recuperação ao presidente do Brasil, que está infectado com o coronavírus, em um mundo em que a pandemia não diminui", disse Fernández.

"Vivemos permanentemente um tempo de fluxo e refluxo, em que pensamos que a recuperação está começando e, de repente, tudo volta e dificulta a projeção do futuro", acrescentou.

Em entrevista à TV Brasil hoje, Bolsonaro informou que testou positivo para a covid-19. Durante o pronunciamento, o presidente chegou a tirar a própria máscara de proteção.

Revisão do capitalismo

Em uma mensagem enviada hoje a empresários da ACDE (Associação Cristã de Dirigentes de Empresas), Fernández aproveitou e pediu para que a pandemia seja uma oportunidade para uma releitura do sistema capitalista.

"Por que a pandemia foi capaz de desmoronar impérios econômicos? Esqueceram o melhor do capitalismo e se agarraram ao pior, à lógica financeira. Havia um valor fictício sobre muitas dessas empresas que tinha a ver com a especulação financeira. O capitalismo deve revisar essas coisas", disse o presidente argentino por vídeo.

Embora não tenha se aprofundado em temas sensíveis, segundo o jornal La Nación, Fernández defendeu uma posição que acredita ser "inexorável" para o futuro a curto prazo.

"Temos uma grande oportunidade que devemos aproveitar. Esse ensinamento de Enrique Shaw (fundador da ACDE) deixou: fazer um capitalismo que integre a sociedade, não que a divida, que distribua melhor o lucro entre os que investem e os que trabalham. Não há uma opção ao capitalismo, mas ele foi se degradando, e chegou a hora de colocá-lo em sua verdadeira dimensão. Temos que buscar um capitalismo mais nobre", acrescentou.

Coronavírus