PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
12 meses

Criança morta após infestação de piolhos vivia em casa 'com ratos e vermes'

País são acusados de homicídio após filha morrer por infestação de piolhos - Divulgação/Wilkinson County Sheriff Office
País são acusados de homicídio após filha morrer por infestação de piolhos Imagem: Divulgação/Wilkinson County Sheriff Office

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/10/2020 20h39

A menina Kaitlyn Yozviak, 12, que morreu após uma parada cardíaca em decorrência de uma infestação de piolhos, vivia em uma "casa de horrores", cheia de ratos e vermes pelo chão, disseram os agentes que estiveram na casa.

A morte aconteceu em 26 de agosto, quando a mãe da criança ligou para os serviços de emergência dizendo que a filha estava inconsciente. A menina foi levada para o hospital onde os médicos a declararam morta. Os pais irão responder na Justiça por homicídio.

Segundo os agentes que atenderam o chamado, o interior da casa estava em péssimo estado e os pais teriam confessado que a menina não tomava banho há mais de uma semana.

O agente Ryan Hilton disse ao Tribunal Superior do Condado de Wilkinson, no estado de Mississipi, nos Estados Unidos, que, no momento de sua morte, Kaitlyn tinha "a mais severa" infestação de piolhos que já tinha visto e pode ter durado por pelo menos três anos.

Acredita-se que mordidas repetidas dos piolhos diminuíram seus níveis de ferro no sangue, o que provavelmente causou a anemia e pode ter desencadeado o ataque cardíaco.

A juíza responsável pelo caso concordou que havia provas suficientes para a acusar o pai, John Joseph Yozviak, 38, e a mãe, Mary Kathrine "Katie" Horton, 37, de assassinato, além do crime de crueldade infantil.

Internacional