PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Cientista iraniano foi baleado por metralhadora com controle remoto

O cientista iraniano Mohsen Fakhrizadeh, morto ontem, em Teerã, após seu veículo ser atacado por atiradores - West Asia News Agency/Reuters
O cientista iraniano Mohsen Fakhrizadeh, morto ontem, em Teerã, após seu veículo ser atacado por atiradores Imagem: West Asia News Agency/Reuters

Do UOL, em São Paulo

30/11/2020 19h27

O cientista nuclear iraniano, assassinado na semana passada, foi baleado por uma metralhadora controlada por controle remoto e operada de um carro, à distância, segundo informou ontem a agência de notícias semioficial Fars.

Mohsen Fakhrizadeh foi assassinado na sexta-feira (27) quando seu carro foi crivado de balas em uma rodovia próxima de Teerã. O Irã acusa Israel pela autoria do assassinato. O líder supremo aiatolá Seyyed Ali Khamenei e outros prometeram vingança.

A reportagem do Fars News —e reproduzida pela rede de TV americana CNN— diz que Fakhrizadeh estava viajando com sua esposa em um carro à prova de balas, ao lado de outros três veículos que faziam a sua segurança. Quando ele ouviu o que parecia ser uma bala atingindo um dos veículos, saiu do carro para verificar o que havia ocorrido.

Ao sair, diz a reportagem, uma metralhadora de controle remoto abriu fogo de um Nissan parado a cerca de 150 metros do carro de Fakhrizadeh. O cientista teria sido atingido pelo menos três vezes. Um dos seguranças também foi baleado. Uma explosão também foi ouvida durante o ataque.

A agência cita o ministro da Defesa iraniano, Amir Hatami, como uma das fontes. "Com base em relatórios recebidos de membros de sua equipe de segurança, o veículo do Sr. Fakhrizadeh foi inicialmente alvejado por tiros, após o que um veículo Nissan carregado com explosivos foi detonado nas proximidades deles como tiros, visando seu veículo, estava continuando", afirmou Hatami à agência.

Internacional