PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Brasileiro morre na Bélgica após ser atropelado em acostamento de rodovia

Wellington Felipe, que morreu atropelado por caminhão na Bélgica - Reprodução/Facebook
Wellington Felipe, que morreu atropelado por caminhão na Bélgica Imagem: Reprodução/Facebook

Anahi Martinho

Colaboração para o UOL, em São Paulo

02/12/2020 22h12

Um brasileiro morreu ao ser atropelado por um caminhão em alta velocidade numa rodovia na região da Antuérpia, na Bélgica. Wellington Felipe tinha 26 anos e vivia na Bélgica havia sete. Ele deixa a mulher, também brasileira, e cinco filhos, todos morando no país europeu.

De acordo com o site belga "GVA", Wellington estava na rodovia E19, na Antuérpia, em direção à cidade de Breda, quando parou o veículo no acostamento para verificar um problema no motor.

Ele foi atingido por um caminhão em alta velocidade e não resistiu. O acidente ocorreu às 10h45 (hora local) da manhã de segunda-feira (30).

Segundo o cunhado, Thimóteo Mazzon, Wellington tinha vontade de voltar ao Brasil, mas ainda estava se organizando financeiramente para isso. Wellington cresceu em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, e se mudou para o país europeu em 2014, em busca de uma vida melhor.

Logo que chegou ao país, conheceu Natália Sodate, com quem se casou. Ele adotou legalmente os dois filhos dela, atualmente com 14 e 12 anos. O casal ainda teve mais três filhos, uma menina de seis anos e gêmeos de três anos.

Uma das crianças tem necessidades especiais, um dos motivos pelos quais o casal ainda dependia da infraestrutura do país europeu.

"Ele era bem próximo da família, a gente estava sempre em contato com ele. Ele sempre externava o desejo de retornar para o Brasil, tinha saudades, estava vivendo um momento muito difícil lá", contou o cunhado, em entrevista ao UOL.

"Ele tentou várias vezes vir para cá nos últimos cinco anos, ou levar os pais dele, mas por falta de condições financeiras não teve êxito", afirmou o marido da irmã de Wellington, que está muito abalada.

"Por várias razões, ele ainda permanecia lá e não tinha tido a oportunidade de voltar ao Brasil. Era um excelente pai, uma pessoa maravilhosa, infelizmente foi um choque para todo mundo", acrescentou Thimóteo.

Translado

A família de Wellington chegou a fazer uma vaquinha online para arrecadar o dinheiro para trazer o corpo dele ao Brasil. Mas segundo o cunhado, o valor é tão alto que a família desistiu do traslado.

A família, então, decidiu redirecionar o arrecadamento da vaquinha para mandar os pais de Wellington, Tereza e Josias da Conceição, à Bélgica para enterrar o filho. Tereza e Josias são pais de criação, tios de Wellington.

A vaquinha online arrecadou até o momento R$ 2.286. A família tem o prazo de 7 dias para viajar.

"Têm sido dias muito difíceis para toda a família. Não será mais possível trazer o corpo. A embaixada afirmou que teríamos que fretar um avião particular. O preço disso é de R$ 125 mil. Então, tomamos a decisão de comprar passagens para os meus sogros, seu Josias e dona Tereza, irem para a Bélgica enterrar o filho lá e darem apoio para a Natália e as cinco crianças", afirmou o cunhado. "É a solução que estamos tendo no momento."

Na página da vaquinha virtual, o pai de Wellington, Josias, diz: "Estamos pedindo a ajuda de todos para poder dar um enterro digno a ele, não temos condições financeiras. Nos ajude a dar um último adeus para meu filho".

Internacional