PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
3 meses

EUA têm mais de 100 mil pacientes internados com covid-19 pela 1ª vez

Com EPI, médicos cuidam de paciente de covid-19 internado em hospital de Houston, no Texas - Go Nakamura/Getty Images/AFP
Com EPI, médicos cuidam de paciente de covid-19 internado em hospital de Houston, no Texas Imagem: Go Nakamura/Getty Images/AFP

Do UOL, em São Paulo

02/12/2020 22h02Atualizada em 02/12/2020 23h47

O número de pacientes hospitalizados com covid-19 nos Estados Unidos ultrapassou a marca dos 100 mil pela primeira vez desde o início da pandemia — quase o dobro do registrado no segundo trimestre, auge da primeira onda de infecções, segundo reportado pelo jornal The New York Times.

Os dados são do Covid Tracking Project (Projeto de Rastreamento da Covid-19, em tradução livre), criado pela revista The Atlantic para acompanhar o avanço do coronavírus no país. Hoje, o balanço indica que os EUA têm, ao todo, 100.226 infectados internados em hospitais.

Esse aumento, relata o NYT, acompanha a alta no número de novos casos registrados, que têm passado de 1 milhão por semana. O número de mortes, que deve subir ainda mais com as hospitalizações, também está em tendência ascendente: já são 273.170, de acordo com a Universidade Johns Hopkins.

Os EUA são, de longe, o país com mais infectados pelo coronavírus — 13,9 milhões, bem à frente de Índia (9,5 milhões) e Brasil, o terceiro colocado, com 6,4 milhões. Somente nas últimas horas, o País registrou 2.650 mortes em decorrência da doença, de acordo com a rede de TV americana CNN.

Os números apontam para um cenário preocupante nas próximas semanas. Especialistas ouvidos pelo NYT alertam para o perigo de superlotação de hospitais, que se tornará inevitável se estados não conseguirem controlar a alta nos casos.

"Qualquer pessoa que pensa tem que se preocupar", disse Philip Landrigan, diretor de um programa de saúde pública global na Boston College. "O fato de termos tantas hospitalizações demonstra que fizemos um trabalho muito ruim no controle desta pandemia. Está se espalhando rapidamente e em muitos lugares. Está ficando fora de controle."

Marvin O'Quinn, presidente e diretor de operações da Common Spirit Health, que administra hospitais em 21 estados norte-americanos, diz que seu sistema vem utilizando suas próprias instalações ambulatoriais, bem como de outras empresas, para atender à crescente demanda por profissionais de saúde.

"Não há enfermeiros ou médicos suficientes", disse o executivo ao NYT. Segundo O'Quinn, os hospitais de sua rede registram 2.056 pacientes internados com covid-19, o maior número até agora e cerca de 65% maior que o verificado há um mês.

"Estou preocupado", completou.

Coronavírus