PUBLICIDADE
Topo

Eleições Americanas

Conteúdo publicado há
4 meses

'Cenas vergonhosas': chefes de Estado repudiam invasão ao Congresso dos EUA

"É vital que haja uma transferência de poder pacífica", pediu o premiê do Reino Unido, Boris Johnson - John Sibley/Reuters
"É vital que haja uma transferência de poder pacífica", pediu o premiê do Reino Unido, Boris Johnson Imagem: John Sibley/Reuters

Do UOL, em São Paulo

06/01/2021 18h59Atualizada em 06/01/2021 21h08

Chefes de Estado em todo o mundo repudiaram hoje a invasão do Capitólio por apoiadores do presidente Donald Trump. Capitólio é como é conhecido o prédio onde fica o Congresso dos Estados Unidos. O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, definiu as cenas de violência e vandalismo como "vergonhosas" e pediu por uma transferência de poder pacífica.

"Cenas vergonhosas no Congresso norte-americano. Os EUA são uma representação da democracia ao redor do mundo e é vital que haja uma transferência de poder pacífica e ordenada", escreveu, em referência à futura posse de Joe Biden como presidente do país.

Presidentes sul-americanos também se manifestaram: Sebastian Piñera, do Chile, disse que condena a violência nos atos em Washington (DC) e que confia na democracia americana para garantir o emprego da lei e da ordem, bem como o Estado de Direito.

Iván Duque, da Colômbia, também afirmou confiar na estabilidade das instituições americanas e no respeito à democracia, "valores compartilhados por nossos países desde o início de nossa república". "Presto minha solidariedade e apoio aos honrosos membros do Congresso e a todas as instituições dos EUA", acrescentou.

Confira mais reações e chefes de Estado e outras autoridades ao redor do mundo:

Governo da Venezuela, por meio do Ministério das Relações Exteriores

"A Venezuela expressa sua preocupação com os atos de violência que acontecem na cidade de Washington, EUA; condena a polarização política; e deseja que o povo americano possa abrir um novo caminho em direção à estabilidade e justiça social."

Alberto Fernández, presidente da Argentina

"Manifestamos nosso repúdio aos graves atos de violência e derespeito ao Congresso ocorridos hoje em Washington (DC). Acreditamos que haverá uma transição [de poder] pacífica, que respeite a vontade popular, e expressamos nosso mais firme apoio ao presidente eleito Joe Biden."

Luis Lacalle Pou, presidente do Uruguai

"Manifestamos nosso mais profundo repúdio aos atos de violência ocorridos hoje no Congresso dos EUA, confiando que os valores democráticos do país prevalecerão frente a qualquer tentativa de desprestigiar suas instituições."

Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá

"Os canadenses estamos profundamente perturbados e tristes pelo ataque à democracia nos EUA, nosso vizinho e aliado mais próximo. A violência nunca conseguirá anular a vontade do povo. A democracia nos EUA deve ser preservada — e será."

Pedro Sánchez, primeiro-ministro da Espanha

"Acompanho com preocupação as notícias que chegam do Capitólio, em Washington. Estou confiante na força da democracia dos EUA. A nova presidência de Joe Biden superará esse estágio de tensão, unindo o povo americano."

Giuseppe Conte, primeiro-ministro da Itália

"Acompanho com grande preocupação o que está acontecendo em Washington. A violência é incompatível com o exercício dos direitos políticos e das liberdades democráticas. Confio na solidez e na força das instituições dos EUA."

António Costa, primeiro-ministro de Portugal

"Acompanho com preocupação os desenvolvimentos em Washington. São imagens inquietantes. O resultado das eleições deve ser respeitado, com uma transição pacífica e ordeira do poder. Confio na solidez das instituições democráticas dos EUA."

Sanna Marin, primeira-ministra da Finlândia

"O ataque ao prédio do Capitólio, em Washington (DC) é um episódio muito sério e preocupante. Ele mostra como é importante defender a democracia de maneira firme e forte, sempre."

Zuzana Caputova, presidente da Eslováquia

"As cenas do Capitólio dos Estados Unidos mostram o quão perigosa é a retórica do ódio. O desprezo pelas instituições democráticas corrói os direitos dos cidadãos e pode minar a ordem política. Espero que o processo democrático e pacífico seja restaurado logo."

Alexander Van der Bellen, presidente da Áustria

"Acompanho com profunda preocupação o ataque populista e antidemocrático ao Capitólio em Washington, o coração da democracia americana. O respeito ao resultado das eleições livres e a transferência de poder pacífica são a base da democracia. Estou confiante de que os EUA vão proteger as regras da democracia, ainda que o atual presidente hesite [em fazê-lo]."

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia

"Acredito na força das instituições e da democracia dos EUA. A transição pacífica de poder está no centro [de importância]. Joe Biden ganhou a eleição. Estou ansiosa para trabalhar com ele como próximo presidente dos EUA."

Eleições Americanas