PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
3 meses

Sem provas, Trump diz que muro na fronteira com México controlou covid-19

Donald Trump - Donald Trump
Donald Trump Imagem: Donald Trump

Do UOL, em São Paulo

12/01/2021 18h30Atualizada em 13/01/2021 09h01

Sem apresentar provas, o presidente Donald Trump afirmou que o muro construído na fronteira com o México controlou a entrada da covid-19 nos Estados Unidos. A declaração ocorreu durante cerimônia de inauguração de trecho do muro que separa os dois países, realizada no Texas, na tarde de hoje.

"Eu posso chamar esse vírus de vários nomes (de 'vírus chinês', 'praga chinesa'). Esse vírus chinês foi muito duro no México. Sabemos que ao longo da fronteira, eles estão bem, aqui do lado dos EUA. Mas do outro lado da fronteira sabemos que eles estão sofrendo muito com o vírus", disse Trump.

"Então, o que conquistamos foi muito bom. Nós não fizemos o muro por causa da covid, e sim por causa da segurança. Mas, no fim, essa praga horrível começou e o muro acabou agindo", acrescentou, em seguida.

Até agora, os Estados Unidos são de longe o país mais afetado pela pandemia da covid-19 no mundo, com 22.771.320 de casos e 379.365 mil mortes, segundo a Universidade Johns Hopkins, que faz o monitoramento. Já o México registra 1.541.633 casos do coronavírus e 134.368 mortes em decorrência da doença.

"Vírus chinês"

Os ataques feitos por Donald Trump à China devido ao coronavírus não são novidade. Eles começaram em março, logo no início da pandemia.

Em setembro, em um discurso exibido na Assembleia Geral, já que a ONU realizou edição virtual do evento, Trump disse que o mundo estava "engajado no combate ao coronavírus, mas que a epidemia teve início por culpa da China".

"Estamos mais uma vez engajados em um grande problema mundial. Estamos enfrentando uma batalha furiosa contra um inimigo invisível, o vírus chinês, que levou incontáveis vidas em 188 países", disse Trump, na ocasião.

Devido ao uso constante da terminologia polêmica, Trump chegou a ser acusado de xenofobia.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que informou a matéria, os Estados Unidos têm 22.771.320 de casos da covid-19 (no momento da publicação), e não 122 milhões. A informação foi corrigida.

Coronavírus