PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Alemanha identifica seu 1º caso ligado a variante brasileira do coronavírus

Enfermeira manuseia kit para testar o novo coronavírus na Alemanha; identificação de nova variante brasileira - INA FASSBENDER/AFP
Enfermeira manuseia kit para testar o novo coronavírus na Alemanha; identificação de nova variante brasileira Imagem: INA FASSBENDER/AFP

Do UOL, em São Paulo*

22/01/2021 14h15Atualizada em 22/01/2021 14h57

A Alemanha identificou seu primeiro caso de uma pessoa infectada pela variante brasileira do novo coronavírus, que tem origem ligada a Manaus (AM). O anúncio foi feito pelo ministro de Assuntos Sociais do estado de Hesse, Kai Klose. O governo alemão ainda não se pronunciou.

Kai Klose disse que o paciente está assintomático, tendo desembarcado ontem no Aeroporto de Frankfurt após viagem ao Brasil. Não há informações sobre a identidade do infectado e sobre os estados brasileiros que visitou.

A identificação ocorreu preliminarmente por meio de um exame RT-PCR feito ontem. O estudo detalhado continua em andamento.

Geralmente, a maneira mais eficiente para a verificação da cepa do vírus é por meio do sequenciamento genético, o que requer um maior tempo.

Porém, a virologista Sandra Ciesek, do Hospital de Frankfurt, explicou ao jornal Frankfurter Allgemeine que é possível indicar a variante, de maneira rápida e confiável, se o exame RT-PCR for direcionado para confirmar a suspeita.

Especialistas do Instituto Robert Koch, órgão de prevenção de doenças do governo alemão, afirmam que a mutação brasileira é similar à sul-africana, sobre a qual existe a suspeita de ser mais contagiosa do que a versão original do Sars-CoV-2.

A cepa brasileira tem origem ligada a Manaus, cidade que vive um colapso do sistema de saúde por causa da explosão no número de casos. Ela foi identificada pela primeira vez no dia 9 de janeiro, em viajantes que chegaram ao Japão depois de passarem por Manaus.

Com 2,12 milhões de contágios e cerca de 51 mil mortes, a Alemanha vive seu pior momento na pandemia e vem registrando recordes seguidos de óbitos diários.

O país ultrapassou hoje a marca de 50 mil mortes por covid-19 desde o começo da pandemia.

Com informações das agências AFP, ANSA e RFI.

Internacional