PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Médico nos EUA é demitido após furtar 9 doses de vacina contra a covid-19

Defesa não nega furto, mas diz que imunizantes perderiam sua validade  - iStock
Defesa não nega furto, mas diz que imunizantes perderiam sua validade Imagem: iStock

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/01/2021 11h19

O médico Hasan Gokal foi demitido de um cargo público após furtar uma caixa com nove doses da vacina contra covid-19, em Harris, um condado localizado no estado do Texas (EUA). A defesa dele alega que imunizante perderia a validade.

O crime foi descoberto após Gokal "se gabar" para um colega de trabalho de ter furtado as doses, afirma o promotor do condado, Kim Ogg, em comunicado. A autoridade diz ainda que o médico foi demitido e enfatizou a gravidade do caso.

"Ele abusou de sua posição para colocar seus amigos e familiares na linha na frente das pessoas que haviam passado pelo processo legal para estar lá. O que ele fez foi ilegal e ele será responsabilizado perante a lei", disse.

Paul Doyle, advogado de Gokal, não negou o furto, mas disse que elas perderiam sua validade de qualquer jeito, por isso seu cliente decidiu levar para aplicar em sua família.

"O condado de Harris teria preferido que o Dr. Gokal desperdiçasse as vacinas e está tentando denegrir a reputação desse homem no processo de apoiar esta política. Estamos ansiosos pelo nosso dia no tribunal para consertar esse erro", argumentou Doyle.

"Dr. Gokal é um servidor público dedicado que garantiu que as dosagens da vacina covid-19, que de outra forma expirariam, fossem para os braços de pessoas que atendiam aos critérios para recebê-la", disse o advogado ao KHOU11.

O Texas já registrou 2.209.995 milhões de infecções e 34.075 mortes por covid-19, perdendo apenas para a Califórnia entre os estados norte-americanos. Nos EUA, os locais responsáveis pelas aplicações das doses podem perder o financiamento do governo caso não administrem o imunizante com responsabilidade.

Segundo o New York Post, Gokal pode pegar um ano de prisão e ser multado em US$ 4 mil (equivalente a R$ 21 mil).

Internacional