PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Vivemos momento de mudança política na América, diz presidente da Bolívia

8.nov.2020 - Novo presidente da Bolívia, Luis Arce, acena na chegada para a cerimônia de posse - AIZAR RALDES / AFP
8.nov.2020 - Novo presidente da Bolívia, Luis Arce, acena na chegada para a cerimônia de posse Imagem: AIZAR RALDES / AFP

Carolina Marins

Do UOL, em São Paulo

25/02/2021 22h47

O presidente da Bolívia, Luis Arce, avalia que há uma mudança política e econômica ocorrendo na América Latina, em especial após as eleições dos últimos anos na região. Segundo ele, a população tem optado por modelos socialistas e de bem-estar social em detrimento do neoliberalismo econômico.

A declaração foi dada durante uma entrevista à Rede TVT na noite de hoje. Arce comentou sobre a situação econômica da Bolívia em seu governo, a migração de bolivianos para o Brasil e falou rapidamente sobre a situação econômica e de saúde do Brasil.

"É muito interessante o que ocorreu com a Argentina e com o México", disse.

A recuperação de um governo de direita que havia na Argentina com o [Maurício] Macri para o companheiro [Alberto] Fernández, que agora governa, é um elemento que nos faz pensar que o modelo neoliberal não pôde se reinventar e se adaptar às novas mudanças.
Luis Arce, presidente da Bolívia

Arce também cita o governo de Andrés Manuel López Obrador, no México como outro exemplo de mudança eleitoral que sugere a preferência da população por governos de esquerda.

Segundo ele, mudanças ainda podem ocorrer no Equador, que passa neste momento por uma delicada eleição, e também no Chile, atualmente governado por Sebastián Piñera, um governo de direita aliado do Brasil de Jair Bolsonaro.

Está absolutamente claro que este momento é de transformação, mudança e inflexão da política na América Latina.
Luis Arce, presidente da Bolívia

Eleições no Brasil

Questionado sobre o que pensa da atual situação política brasileira e o que espera das próximas eleições no país vizinho, Arce se limitou a dizer que não faz ingerências sobre outros países e confia na decisão do povo brasileiro.

"Nós confiamos na consciência do povo brasileiro. Uma consciência que tem justamente que avaliar as vivências do que estamos enfrentando e avaliar com muita objetividade qual é o melhor caminho para um país como o Brasil", disse.

Nossa avaliação é que seja a melhor. O que o povo brasileiro decidir será o melhor para eles.
Luis Arce, presidente da Bolívia

"Estamos observando o que está acontecendo no Brasil. Vemos as notícias que chegam, de como estão enfrentando a pandemia, como o problema da pobreza recrudesceu no nosso país-irmão, como tem ocorrido um aumento do desemprego e as barreiras econômicas que estão realmente preocupantes como muitos dos países da região."

O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-chanceler Celso Amorim enviaram vídeos saudando o presidente boliviano e comemorando a sua vitória nas eleições.

"Fiquei muito triste, muito decepcionado quando assisti o golpe dado na Bolívia para tirar o presidente Evo das eleições", disse Lula. "E fiquei feliz outra vez quando o presidente Arce ganha as eleições de forma extraordinária, recuperando para o povo boliviano o direito de continuar estabelecendo uma política de inclusão social e fortalecendo o processo democrático nas suas relações internas e com a América do Sul, em especial o Brasil."

Sua eleição

O presidente boliviano respondeu a várias perguntas sobre a renúncia de Evo Morales como presidente da Bolívia após acusações de fraude nas eleições.

Após a saída de Evo, assumiu interinamente a senadora Jeanine Áñez. O ex-presidente precisou se exilar no México e retornou à Bolívia no ano passado após permissão do novo presidente aliado.

Arce exaltou a importância da juventude durante o período, "que não conhecia o que era uma ditadura".

"O que aconteceu com os jovens foi um entendimento muito rápido do que é uma decepção daquilo que queriam fazê-los crer que era uma ditadura e viver a ditadura real, e então mudar rapidamente de atitude."

Internacional