PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Israel agradece "posição firme" do Brasil contra investigação do TPI

"Tribunal não tem autoridade para discutir questão", disse Ashkenazi - Reprodução/Facebook/@Israelmfa
"Tribunal não tem autoridade para discutir questão", disse Ashkenazi Imagem: Reprodução/Facebook/@Israelmfa

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

07/03/2021 13h47

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Gabi Ashkenazi, agradeceu neste domingo (7) à "posição firme e clara" contra a investigação aberta pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) sobre possíveis crimes de guerra cometidos na Palestina a partir de 2014. A apuração pode render processos criminais contra a gestão do premiê israelense, Benjamin Netanyahu.

O chanceler fez as afirmações primeiramente diante do ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, que lidera comitiva de brasileiros em Israel em busca de acordos de cooperação por vacinas e um spray contra o conavírus. Ashkenazi agradeceu à "posição clara" do Brasil e sua "liderança".

Depois, ele reforçou as declarações em uma rede social. "Agradeço ao governo brasileiro por seu firme apoio contra a decisão do procurador do TPI", afirmou Ashkenazi.

O Itamaraty divulgou uma declaração conjunta confirmando a contrariedade do Brasil com a investigação. "A abertura de uma investigação no TPI é um desserviço à causa da justiça, o que enfraquecerá as perspectivas de um acordo negociado para o conflito israelense-palestino", afirma a nota divulgada pelos brasileiros.

Para Ashkenazi, "o tribunal não tem jurisdição ou autoridade para discutir essa questão". "Esta é uma decisão que prejudica a lei internacional e reduz a possibilidade de negociações entre Israel e os palestinos."

Além do Brasil, os Estados Unidos, já na gestão de Joe Biden, criticaram a decisão da Procuradoria. Uma publicação no site da Confederação Israelita do Brasil afirma que sete países também são contra a investigação: Alemanha, Canadá, Áustria, Austrália, República Checa, Hungria e Uganda.

Ashkenazi disse hoje afirmou que Israel trabalha para expandir a cooperação entre os países na luta contra a covid-19. "Israel ajudará o Brasil em todos os meios possíveis, como explorará meios de aprofundar pesquisa e desenvolvimento em medicamentos e outras soluções para lidar com o vírus", continuou.

Internacional