PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

CDC recomenda que americanos evitem viajar ao Brasil por risco de covid

Governo norte-americano recomenda que seus cidadãos não viagem ao Brasil - Getty Images
Governo norte-americano recomenda que seus cidadãos não viagem ao Brasil Imagem: Getty Images

Colaboração para o UOL*

08/06/2021 22h09Atualizada em 08/06/2021 22h20

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos manteve o Brasil na lista de países em que os norte-americanos devem evitar viajar por causa da pandemia do novo coronavírus, em nova atualização feita ontem.

O Brasil está na relação de nações com alerta "nível 4", o máximo da entidade, desde o dia 19 de maio. O nível 4 reúne países que têm mais de 500 novos casos da covid-19 por 100 mil habitantes nos últimos 28 dias.

Dos países da América do Sul, apenas o Peru, o Equador e a Guiana estão com risco mais baixo, apesar de estarem no "nível 3" na escala do CDC - que reúne nações que registraram de 100 a 500 mortes por 100 mil habitantes nos últimos 28 dias.

Veja a quantidade de países em cada nível

  • Nível 4: 60
  • Nível 3: 64
  • Nível 2: 21
  • Nível 1: 56

Na atualização feita ontem, o CDC avisou que quer "diferenciar melhor os países com situações de surto grave de países com propagação da covid-19 sustentada, mas controlada".

A mudança fez com que países como Canadá, México, Espanha e Japão tivessem sua situação atenuada. O país sede dos Jogos Olímpicos de Tóquio havia entrado no nível 4 das recomendações do CDC no dia 24 de maio.

Ao todo, cerca de 60 países que estavam com restrições altas voltaram ao nível 3. Outros cerca de 20 desceram um nível até 2 ou 1.

Europa

Os Estados Unidos também abrandaram a advertência a viagens para França e Alemanha, assim como para a Grécia, que recebe turistas americanos vacinados, e a África do Sul, que luta contra uma variante do novo coronavírus.

Há interesse da Europa em saber quando os Estados Unidos irão amenizar as restrições em vigor há mais de um ano às viagens de países europeus.

A mudança ocorre depois de a União Europeia autorizar a entrada de viajantes americanos vacinados contra a covid-19. Mas agora, o continente pede uma medida recíproca por parte dos Estados Unidos.

* Com informações da AFP

Internacional