PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
2 meses

Pai mata filha de 3 anos ao cair nela durante brincadeira em gira-gira

Amberlie Pennington-Foley, de 3 anos de idade, morreu tragicamente enquanto brincava com o pai em um parquinho na Nova Zelândia - Reprodução
Amberlie Pennington-Foley, de 3 anos de idade, morreu tragicamente enquanto brincava com o pai em um parquinho na Nova Zelândia Imagem: Reprodução

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/07/2021 16h53Atualizada em 07/07/2021 16h53

Uma menina britânica de 3 anos morreu quando o pai caiu acidentalmente em cima dela, enquanto os dois brincavam em um gira-gira de um parquinho na cidade de Upper Hutt, na Nova Zelândia.

O acidente aconteceu dia 27 de agosto do ano passado, mas foi noticiado só agora pelo site australiano News.com.au.

Robert Foley, o pai da garotinha, estava pulando no gira-gira, mas se desequilibrou e caiu com o corpo inteiro sobre a menina. O impacto causou uma lesão no cérebro e na medula espinhal da criança, além de ferimentos na cabeça e pescoço.

A menina, que se chamava Amberlie Pennington-Foley, foi levada às pressas pelo pai até um centro médico local, onde uma equipe tentou reanimá-la e acionou uma ambulância para transferi-la. Mas mesmo com os socorros, ela foi declarada morta poucas horas depois.

Um legista responsável por relatar uma possível situação dolosa no caso afirmou que o acidente era "difícil de prever" e que não teve relação com nenhuma falha no gira-gira, nem com uma operação imprudente do brinquedo.

"A morte de Amberlie foi um acidente trágico no verdadeiro sentido da palavra", descreveu o profissional, identificado como Peter Ryan. "Não ficaria surpreso em saber que muitos outros pais já haviam operado o gira-gira de maneira semelhante, sem incidentes graves".

O pai da criança lamentou profundamente a perda da menina. "Você acorda e pensa, aqui estamos nós de novo. Coração pesado. Ela era minha melhor amiga, minha alma gêmea, ela era tudo o que há de bom comigo", disse ele.

A família, que imigrou para a Nova Zelândia há nove anos, vinda do Reino Unido, recebeu apoio da população local.

"Toda a comunidade de Upper Hutt está de luto pela perda de nosso bebê. E é claro que Amberlie aproximou nossa já forte comunidade", garantiu a mãe da criança, Emma Pennington-Foley.

Internacional