PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
15 dias

Boca de urna aponta empate nas eleições para premiê na Alemanha

Olaf Scholz (SPD), Armin Laschet (CDU) e Annalena Baerbock (Partido Verde) aparecem em primeiro na disputa pelo governo da Alemanha - Getty Images
Olaf Scholz (SPD), Armin Laschet (CDU) e Annalena Baerbock (Partido Verde) aparecem em primeiro na disputa pelo governo da Alemanha Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo*

26/09/2021 14h30

Os primeiros resultados da pesquisa de boca de urna das eleições da Alemanha, realizadas hoje, apontam para um empate entre os dois maiores partidos, o Social-Democrata (SPD) e a União Democrata-Cristã (CDU), comprovando a previsão de que o pleito seria muito acirrado.

Segundo os dados divulgado pela TV pública "ARD", Olaf Scholz (SPD) e Armin Laschet (CDU), candidato da atual premiê Angela Merkel, têm 25% dos votos. Os Verdes, da candidata Annalena Baerbock, se confirmam como a terceira força, com 15% dos votos, seguido pelo Partido Liberal Democrático (FDP) e pelos extremistas de direita do Alternativa para a Alemanha (AfD), ambos com 11%.

Já a Esquerda (Linke) teve 5% dos votos e corre o risco de não superar a cláusula de barreira para entrar no Parlamento, chamado de Bundestag. As demais siglas somam 8%.

O resultado da "ARD" é semelhante a outra boca de urna, feita pela emissora "ZDF", que aponta um empate técnico na disputa, com o SPD com 26% dos votos e a CDU com 24%.

Levantamento da agência AFP reforça o cenário disputado: a boca de urna apontou os social-democratas do SPD com entre 24,9% e 25,8% dos votos, contra 24,2% a 24,7% para a União Democrata-Cristã (CDU). Os Verdes aparecem em terceiro lugar, com entre 14,7% e 14,8% dos votos, à frente do Partido Liberal FDP, com 11,2% e 11,8%.

Ao comentar as primeiras apurações não oficiais, Laschet,afirmou que torce para que o seu partido vença a disputa. "É cabeça a cabeça, o êxito ainda não está claro. Nós colocaremos o máximo de empenho para construir um governo sob a liderança da União", disse.

O rival Scholz se disse "feliz com o resultado e com os cidadãos querendo que o SPD ganhe em todos os lugares". "Será uma longa noite, mas é claro que os cidadãos querem uma mudança, e que o próximo chanceler se chame Olaf Scholz", completou o político.

Essa é a primeira disputa política desde 2005 que não contará com a presença da chanceler Angela Merkel.

Atualmente, o Bundestag, a câmara baixa do Parlamento, tem 709 parlamentares e o próximo pode ter uma oscilação entre 672 a 912 membros por conta do mecanismo de compensação previsto pelo complexo sistema eleitoral, que é baseado em dois votos: um para o partido e outro para mandatos diretos. A posse do novo Parlamento deve ocorrer no dia 26 de outubro.

Se os números forem confirmados, é muito possível que a Alemanha terá uma coalizão de três partidos, algo que não ocorre desde o fim da década de 1950.

*Com informações da ANSA e AFP

Internacional