PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
15 dias

Xamã antivacina que sugeria água benta contra pandemia morre de covid

Seguidores do Xamã Eliyantha White lamentam a morte do líder religioso - Divulgação/ AFP
Seguidores do Xamã Eliyantha White lamentam a morte do líder religioso Imagem: Divulgação/ AFP

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/09/2021 11h17Atualizada em 27/09/2021 14h29

O xamã Eliyantha White, de 48 anos, que ficou famoso por dizer que era possível acabar com a pandemia da covid-19 lançando "água benta" nos rios do Sri Lanka - o que não tem eficácia comprovada por instituições como a OMS (Organização Mundial da Saúde) - morreu vítima do coronavírus. A informação foi confirmada pela família do líder religioso à agência de notícias France Press.

A morte, segundo os parentes, foi na quarta-feira (22). O xamã estava internado com a doença desde o início do mês e teve seu quadro agravado na última semana. Ele se posicionava contra a vacina e por isso ainda não havia sido imunizado.

Recentemente, Eliyantha havia dado uma declaração recomendando lançar água benta nos rios do país para conter o avanço do vírus. A então ministra da Saúde, Pavithra Wanniarachchi, endossou o discurso e passou a apoiar o tratamento com "água" na bacia fluvial do país.

No entanto, ela foi infectada dois meses depoiscom o novo coronavírus e precisou ser hospitalizada. Ela foi demitida do cargo.

O xamã era líder espiritual de personalidades do esporte e políticos importantes de seu país, como o primeiro-ministro, Mahinda Rajapaksa. Ele ficou conhecido internacionalmente em 2010, quando o jogador indiano Sachin Tendulkar fez um agradecimento público após ele tratar uma lesão em um joelho do atleta.

O corpo do xamã foi cremado em Colombo.

Coronavírus