PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
15 dias

Mãe compra kit na internet e faz inseminação caseira com ajuda do Youtube

Stephenie Taylor, de 33 anos, conta que quis evitar processo caro de fertilização ou problemas com possíveis namoros - Reprodução/Facebook
Stephenie Taylor, de 33 anos, conta que quis evitar processo caro de fertilização ou problemas com possíveis namoros Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

26/09/2021 17h02Atualizada em 27/09/2021 08h40

Uma mulher de 33 anos decidiu usar uma alternativa inusitada para conceber seu segundo filho, comprando um kit com esperma pela internet para realizar uma inseminação caseira, com a ajuda de um tutorial no Youtube.

Stephenie Taylor, que mora em North Yorkshire, na Inglaterra, explicou ao jornal local The Sun que já desejava dar um irmão ao seu primogênito, que fará cinco anos em outubro, mas que não queria correr o risco de envolver o menino em um possível relacionamento turbulento, depois de se separar do pai da criança.

Ela chegou a pesquisar alternativas em clínicas de fertilização, mas os orçamentos, que ficavam em torno de 1.600 euros por tentativa (cerca de R$ 10 mil), a levaram a procurar uma outra opção. A busca levou Taylor ao aplicativo Just a Baby, em que homens se dispõem a doar esperma de graça, e a comprar um kit inseminação no site de vendas eBay.

O segundo filho da mulher, uma menina que ganhou o nome de Eden, foi gerado logo na primeira tentativa, depois que o doador levou a amostra de seu sêmen até a casa da futura mãe.

"Você pode dizer que ela é realmente um bebê da internet. Ela é um milagre", declarou Taylor ao tabloide britânico. "Se eu não tivesse acesso a tudo isso eletronicamente, ela não estaria aqui. Eu estou mais do que feliz de ser mãe de novo e orgulhosa da forma que ela veio a esse mundo".

O aplicativo Just a Baby funciona como uma espécie de Tinder para interessados em doar ou receber amostras de sêmen para fertilização, em que os inscritos "empurram" o perfil para a direita na tela do celular caso gostem do candidato. Se as duas partes fazem o mesmo, o programa indica o "match", o interesse mútuo no processo.

Na descrição do homem ideal, Taylor procurou um candidato que tivesse boa relação com a própria família, sem histórico de doenças sérias e com características físicas semelhantes às dela, para aumentar as chances de que o bebê se parecesse com o irmão mais velho. Ela contou ao Daily Mail que levou apenas um dia para encontrar o escolhido.

Depois de três semanas de conversa virtual, ele deixou a amostra de esperma na casa da destinatária em janeiro de 2020. "Ele foi legal, amigável. Nós bebemos uma xícara de chá e conversamos sobre o clima", detalhou ela sobre o breve encontro.

Com a ajuda de um vídeo do Youtube, Taylor realizou o processo e apenas duas semanas depois da entrega da amostra descobriu que estava grávida. Ela diz que recebeu apoio da mãe e da irmã, mas que seu pai levou mais tempo para aceitar a ideia, afirmando agora que considera a ideia da filha "brilhante".

Eden nasceu em 15 de outubro de 2020. O doador de esperma foi avisado sobre o parto em uma mensagem de texto.

A mãe afirma que não verá problema caso a filha queira conhecer o "doador de DNA" no futuro. Já o homem, que não quis ter a identidade divulgada pela mídia britânica, destaca que ficou feliz em ajudar a mulher.

"Ela é uma pessoa incrível e eu ficaria feliz de fazer a mesma coisa caso ela queira ter mais filhos no futuro", declarou.

Internacional