PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
3 meses

Vômito de baleia, conchas, atum azul: 5 achados que podem te deixar rico

Vômito de baleia que vale R$ 7 milhões não é o único tesouro inusitado já registrado  - Divulgação/ ViralPress
Vômito de baleia que vale R$ 7 milhões não é o único tesouro inusitado já registrado Imagem: Divulgação/ ViralPress

Do UOL, em São Paulo

09/10/2021 04h00Atualizada em 10/10/2021 14h32

O "vômito de baleia" virou assunto essa semana depois que um pescador da Tailândia ganhou a chance de ficar R$ 7 milhões mais rico após encontrar cerca de 30 kg do material, que em um primeiro momento tem características semelhantes a excrementos. Mas este "achado" não é o único material inusitado a ser negociado por fortunas no mercado de luxo.

A pegadinha é que, como ele, outros materiais com tanto valor agregado têm comércio legal proibido em boa parte do mundo. Por isso, antes de se animar, todo cuidado é necessário.

Confira alguns "achados" que, inacreditavelmente, podem fazer a pessoa ganhar muito dinheiro por acaso (ou acabar presa).

"Vômito de baleia", ou âmbar cinzento

O verdadeiro nome do suposto "vômito" é âmbar gris, ou âmbar cinzento, um material gorduroso encontrado no intestino de cetáceos de grande porte como o cachalote e considerado uma matéria-prima rara e muito valiosa no mundo da perfumaria.

Trata-se de um item de luxo, que já foi usado ao longo da história como medicamento e afrodisíaco. Quando fresco, tem um cheiro muito similar ao de fezes, mas com a exposição ao ar e à luz ganha um odor peculiar doce e terroso, com algumas semelhanças ao do álcool isopropílico.

Os povos antigos utilizavam a substância em cerimônias, quando queimavam os pedaços encontrados em oferenda aos deuses que regiam os mares. Os chineses acreditavam que eles eram produzidos por dragões que viviam em cavernas em ilhas no alto-mar.

Em tempos recentes, o item passou a ser utilizado como especiaria e também como um potente fixador pela perfumaria industrial. Um dos perfumes que utiliza o âmbar cinzento em sua composição é o francês Chanel Nº 5.

Atualmente, o âmbar gris de alta qualidade é vendido por até US$ 25 a cada grama (o equivalente a R$ 140).

Proibido desde 1972 nos Estados Unidos, o âmbar verdadeiro segue sendo substituído por substâncias sintéticas, produzidas em laboratório, como cedramber, spirambrene e okoumal. Entretanto, elas não chegam a mimetizar todas as notas encontradas no âmbar natural.

Conchas gigantes

Em abril deste ano, mais de 150 toneladas de conchas gigantes foram apreendidas pela Guarda Costeira das Filipinas, que estimou que a mercadoria valia em torno de 25 milhões de dólares — cerca de R$ 137 milhões.

À época, quatro suspeitos foram presos na província de Palawan sob acusação de envolvimento no tráfico dos mariscos fossilizados. Este foi o maior transporte ilegal do tipo já registrado, segundo informou à CNN o Comodoro Genito Basilio, comandante da Guarda Costeira da região.

conchas gigantes - Reprodução/Facebook/Guarda Costeira das Filipinas - Reprodução/Facebook/Guarda Costeira das Filipinas
Conchas gigantes de moluscos que foram traficadas nas Filipinas
Imagem: Reprodução/Facebook/Guarda Costeira das Filipinas

Conhecidas localmente como "taklobo", as conchas gigantes traficadas são ostras-gigantes de nome científico Tridacna gigas. Elas são os maiores moluscos bivalves do mundo, medem até 1,2 metro de comprimento e pesam mais de 200 quilogramas.

Nas Filipinas, a exploração dessas conchas é ilegal, de acordo com a Lei de Conservação e Proteção dos Recursos da Vida Selvagem. Qualquer pessoa que matar ou destruir espécies ameaçadas no país pode pegar dois anos de prisão ou ser multado em 410 dólares (R$ 2,3 mil).

E essa não foi a única apreensão milionária realizada no país em 2021. Em 3 de março, o PCSD (Conselho de Palawan para o Desenvolvimento Sustentável) apreendeu 324 conchas de moluscos gigantes, no valor de 160 milhões de pesos filipinos — R$ 17,4 milhões.

Pombo de corrida

Um pombo de corrida foi vendido por US$ 1,9 milhão, cerca de R$ 10,4 milhões, durante um leilão na Bélgica em novembro do ano passado. O comprador da ave foi um chinês anônimo, com pseudônimo Super Duper, que supostamente também é dono do segundo pombo mais caro da história e tinha planos de colocar os dois pássaros para reprodução.

Segundo relatos da mídia local, a última meia hora do leilão de pombos foi frenética. Super Duper concorreu lance a lance com um compatriota, apelidado de Hitman. Quando o martelo foi batido, o preço pago por New Kim superou em US$ 406 mil (R$ 2,2 milhões) o antigo recorde pago, também por um chinês, em Armandinho, pombo conhecido como "Lewis Hamilton" das corridas de pombos.

pombo leilão - Yves Herman/Reuters - Yves Herman/Reuters
Pombo New Kim, de dois anos, marcou um novo recorde em leilão
Imagem: Yves Herman/Reuters

Hobby antigo da Europa ocidental, a corrida de pombos é uma prática muito popular em casas de aposta na China. Lá, os pombos se acostumam com um viveiro por meses, até serem soltos a centenas de quilômetros de distância para voltar, com seu senso único de orientação e treinamento especial de velocidade. A premiação para os vencedores pode chegar a dezenas de milhões de euros.

O preço pago no animal, no entanto, surpreende pela quantia e por se tratar de uma fêmea. "Armando é um macho. Normalmente, um macho vale mais do que uma fêmea porque pode produzir mais descendentes", explica Nikolaas Gyselbrecht, CEO e fundador da casa de leilões, para o canal Sky News.

Rápidos (e, normalmente, com donos bem ciumentos), um pombo desses pode ser bem difícil de capturar.

Filhote de cordeiro

Um cordeiro da raça Texel foi vendido em agosto de 2020 na cidade de Lanark, na Escócia, por 367.500 libras (cerca de R$ 2,7 milhões). De acordo com o jornal escocês The Scotsman, a venda do filhote, de apenas seis meses, foi a "mais cara do mundo".

"Ele é o melhor cordeiro que já vi — tão correto nas pernas, brilhante", elogiou Jeff Aiken, um dos compradores.

cordeiro leilão - Divulgação/Texel Sheep Society - Divulgação/Texel Sheep Society
Cordeiro foi vendido por 367.500 libras (cerca de R$ 2,7 milhões) em feira na Escócia
Imagem: Divulgação/Texel Sheep Society

A oferta inicial do leilão havia sido de 10.500 libras (R$ 76 mil), mas o valor foi subindo rapidamente até uma parceria de três criadores fechar negócio.

Segundo a Texel Sheep Society (Associação de Ovelhas Texel, na tradução livre), o recorde anterior foi de 231 mil libras (aproximadamente R$ 1,7 milhão) pago por um cordeiro da mesma raça, em 2009. A raça é originária da ilha de mesmo nome, no norte da Holanda.

Atum azul

E o Brasil também é berço de tesouros inusitados. Em abril deste ano, um grupo de pescadores fisgou um atum azul de 350 quilos na costa do Rio Grande do Norte. O peixe raríssimo, muito requisitado por restaurantes principalmente no mercado asiático, já chegou a ser vendido por quase 2 milhões de dólares em um leilão no Japão.

A estimativa é de que o peixe potiguar valeria cerca de R$ 140 mil, mas a falta de conhecimento dos pescadores que participavam da expedição fez com que a pequena fortuna fosse descartada.

atum azul - Divulgação - Divulgação
Atum azul pescado no Rio Grande do Norte é muito valorizado, mas demanda boa conservação
Imagem: Divulgação

Isso porque os homens mataram o animal logo depois da captura, inclusive tirando fotos ao lado do corpo, quando o procedimento correto é capturar o atum ainda vivo, fazer uma sangria e colocá-lo em câmara fria, já que ele tem que estar em perfeito estado para manter seu valor.

O peixe acabou sendo dividido entre consumidores do mercado local.

Internacional