PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Fim do mistério: Engenheiro do Snapchat e família morreram de calor nos EUA

Família foi encontrada morta em parque nos EUA - Reprodução/CBS
Família foi encontrada morta em parque nos EUA Imagem: Reprodução/CBS

Do UOL, em São Paulo*

21/10/2021 23h14Atualizada em 21/10/2021 23h14

Um casal, filha de 1 ano e o cachorro da família morreram em uma trilha da Floresta Nacional de Sierra, na Califórnia, nos Estados Unidos, em decorrência do calor. John Gerrish, de 45 anos, Ellen Chung, de 30 anos, Miju, de 1 ano, foram vítimas de hipertermia e desidratação, anunciou hoje, em coletiva de imprensa, o chefe de investigação do condado de Mariposa. A família foi encontrada morta no último dia 17 de agosto e, até então, a suspeita era que a morte poderia ter sido causada por contato com algas tóxicas.

A família fazia uma caminhada em uma trilha remota perto do rio Merced. Eles saíram por volta das 7h45 do dia 15 de agosto e, dois dias depois, foram encontrados mortos pelo resgate a cerca de 25 km do seu veículo. Segundo a polícia, havia poucas pistas no local e nenhum sinal de crime. À época, os termômetros chegaram a marcar 39 ºC na região, segundo a emissora Fox 5 San Diego.

De acordo com o xerife do condado de Mariposa, Jeremy Briese, no local foi encontrado uma garrafa de 2,5 litros de água vazia. A causa da morte do animal de estimação não foi determinada, mas acredita-se que ele também sofreu por problemas relacionados à temperatura. O casal foi descrito por amigos como aventureiros experientes, mas recém-chegados na região, segundo o site norte-americano People.com.

"Nossa mensagem para as pessoas que fazem caminhadas é que levem em consideração os aquíferos e também a geografia. Preparem-se apropriadamente", disse o xerife, que ainda alertou que as temperaturas podem aumentar rapidamente. "A caminhada inicial começou a uma temperatura de 24°C. No momento em que eles desceram, antes de chegarem à trilha, ela já tinha se elevado para 39 °C", acrescentou.

A hipertermia consiste na elevação anormal da temperatura corporal causada por uma falha dos mecanismos que regulam o calor do corpo ao lidar com ambientes quentes, segundo o Instituto Nacional de Saúde dos EUA. O esgotamento por calor e a insolação são exemplos bem conhecidos.

Uma hipótese inicial era a de que a família poderia ter sido envenenada por algas venenosas, identificadas no início deste mês próximo ao rio onde eles estavam. No entanto, a polícia afirmou que não há evidências de que a família tenha ingerido a toxina em questão.

Gerrish era um desenvolvedor de software para o aplicativo Snapchat e já havia trabalhado para o Google. Ele se formou na Universidade de Newcastle. Sua mulher estava estudando psicologia e os dois foram descritos como muito ativos e fãs de atividades ao ar livre.

Mortes por calor em 2021

No início de julho, quando fazia verão no Hemisfério Norte, pelo menos 561 pessoas morreram em meio a uma onda de calor no Canadá e em alguns pontos dos Estados Unidos, onde as temperaturas chegaram aos 46 ºC.

Na época, devido ao calor, várias clínicas de vacinação para covid-19 foram fechadas e as escolas anunciaram a suspensão das atividades devido ao calor extremo.

Devido às mudanças climáticas, temperaturas recorde estão se tornando mais frequentes. Globalmente, a década de 2010-2019 foi a mais quente já registrada, e os cinco anos mais quentes ocorreram nos últimos cinco anos.

*Com informações da AFP

Internacional