PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Líder de seita acusada de sacrifícios humanos morre a caminho do tribunal

O homem dizia que haveria em breve uma grande enchente - Reprodução/Facebook/Pathways International Foundation
O homem dizia que haveria em breve uma grande enchente Imagem: Reprodução/Facebook/Pathways International Foundation

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/10/2021 14h32Atualizada em 26/10/2021 15h06

O líder de uma seita denunciada por prática de sacrifícios humanos morreu em um acidente de trânsito, enquanto ia para uma corte jamaicana. Kevin Smith foi preso na última semana por comandar um culto suspeito de matar duas pessoas.

O jamaicano estava sendo levado pela polícia para Kingston, a capital do país, quando o veículo foi atingido, informa o Jamaica Observer. Um policial também morreu e dois estão em estado grave. Ainda não se sabe exatamente o que causou o acidente, ocorrido ontem.

O homem de 39 anos era o líder da Pathways International Kingdom Restoration Ministries. A acusação mais grave contra o culto é de um incidente em 17 de outubro, em que se suspeita que seguidores de Smith cortaram a garganta de uma mulher, mataram outra pessoa e esfaquearam pelo menos mais três como parte de um ritual.

A intenção com o sacrifício, segundo o The Sun, era "tirar o sangue impuro de seus corpos", antes de uma grande enchente que aconteceria na Jamaica.

Um dos integrantes da seita ligou para a polícia na tentativa de ajudar as vítimas. Quando as autoridades invadiram o local, 41 dos presentes foram levados à delegacia e o caso começou a ser investigado.

"Existe uma grande preocupação de que pessoas influentes - incluindo policiais locais - estejam envolvidas e que isso possa ter acontecido antes e sem ter sido relatado", explica uma fonte próxima à investigação para o jornal britânico.

Pouco após a prisão de Kevin, na semana passada, seus seguidores haviam arrecadado o equivalente a R$ 170 mil para cobrir os honorários da defesa.

Internacional