PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Conteúdo publicado há
3 meses

Rússia diminui ritmo de invasão, diz Ucrânia: 'Inimigo está desmoralizado'

Do UOL, em São Paulo

28/02/2022 05h51Atualizada em 28/02/2022 11h28

A Rússia diminuiu o ritmo da invasão à Ucrânia e os últimos ataques da ofensiva russa foram repelidos, segundo um boletim divulgado na manhã de desta segunda-feira (28) pelas Forças Armadas ucranianas. De acordo com o comunicado, "o inimigo está desmoralizado e sofre muitas perdas".

"Os invasores russos diminuíram o ritmo da ofensiva, mas ainda estão tentando aproveitar o sucesso em certas áreas na operação ofensiva contra a Ucrânia", diz um texto publicado na página do Estado-Maior da Ucrânia no Facebook.

A pausa na ofensiva russa ocorre horas antes da reunião entre a Rússia e a Ucrânia para as negociações de um possível cessar-fogo, que começou às 8h de hoje, no horário de Brasília.

O encontro foi marcado para ocorrer na fronteira entre Belarus e Ucrânia após o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, se recusar inicialmente que as conversas fossem em Minsk, capital de Belarus. O país foi peça-chave para o início da invasão russa à Ucrânia.

Mapa Rússia invade a Ucrânia - 26.02.2022 - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

As informações oficiais do governo da Ucrânia são de que, durante a madrugada, as aeronaves militares da Rússia continuaram os ataques a aeródromos militares e civis, centros de comando e controle, instalações do sistema de defesa aérea, importantes instalações de infraestrutura crítica, assentamentos e unidades militares.

A Rússia tem negado que sua ofensiva mira regiões ocupadas por civis e diz que os alvos são apenas infraestruturas militares. Em comunicado hoje pela manhã, o representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia, Major General Igor Konashenkov, afirmou que "a aviação russa conquistou a supremacia aérea sobre todo o território da Ucrânia".

Devido aos ataques da madrugada, a Ucrânia acusou a Rússia de violar normas do Direito Internacional Humanitário, por ter atingido com foguetes áreas residenciais nas cidades de Zhytomyr e Chernigov.

"Ao mesmo tempo, todas as tentativas dos invasores russos de alcançar o objetivo da operação militar fracassaram", acrescenta nota divulgada pelas Forças Armadas da Ucrânia. "O inimigo está desmoralizado e sofre muitas perdas. Observamos casos frequentes de deserção e desobediência. O inimigo percebeu que a propaganda e a realidade são diferentes", diz o comunicado.

  • Veja as últimas informações sobre a guerra na Ucrânia no UOL News com Diego Sarza: