PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Conteúdo publicado há
2 meses

Rússia anuncia que usou de novo míssil hipersônico contra a Ucrânia

Caça russo MiG-31, com o míssil hipersônico Kinzhal, faz exibição de voo em maio de 2018, em Moscou; em março de 2022, foi usado para atacar a Ucrânia - AFP
Caça russo MiG-31, com o míssil hipersônico Kinzhal, faz exibição de voo em maio de 2018, em Moscou; em março de 2022, foi usado para atacar a Ucrânia Imagem: AFP

Do UOL, em São Paulo*

20/03/2022 09h12

O Ministério da Defesa da Rússia disse ter usado mais um míssil hipersônico contra a Ucrânia no oeste do país, próximo à fronteira com a Romênia, neste domingo (20). Este é o 25º dia de conflito entre os dois países.

Os mísseis, chamados Kinzhal, foram usados pela primeira vez na tarde de ontem para destruir um depósito subterrâneo. Segundo o governo russo, o alvo dessa vez foi local de armazenamento de combustíveis e lubrificantes também a oeste do país.

"Os mísseis de aviação Kinzhal, com sistema hipersônico, destruíram um grande armazém de combustíveis e lubrificantes das Forças Armadas ucranianas próximo a Kostyantynivka, na região de Mykolaiv", declarou o governo russo.

Segundo a Rússia, o local era o principal ponto de abastecimento dos veículos militares ucranianos lutando ao sul do país. O governo ucraniano não confirmou a informação.

Guerra chega ao 25º dia

O conflito chega ao 25º dia sem trégua por parte do Exército russo. Nesta manhã, um bombardeio destruiu uma escola que abrigava 400 refugiados na cidade portuária de Mariupol, sudeste da Ucrânia.

A região de Mariupol, na outra ponta do país em relação a onde ocorreram os ataques com Kinzhal, na fronteira com a Rússia, também tem sido alvo de algumas das maiores ofensivas das forças russas. Na tarde de ontem (19), o governo ucraniano confessou ter perdido acesso ao mar de Azov, onde fica a cidade.

Também nesta manhã, outro bombardeio russo deixou quatro adultos e uma criança mortos em Kharkiv, no nordeste do país. As informações são do policial Viatcheslav Markov, chefe adjunto da Polícia de Kharkiv. Segundo ele, todos os mortos eram civis e estavam no mesmo prédio — a criança tinha 9 anos. De acordo com a Prefeitura, mais de 600 prédios já foram destruídos na cidade.

Segundo a imprensa local, pelo menos 115 crianças ucranianas já foram mortas desde o início do conflito.

*Com informações de AFP e Reuters