PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Mistérios, traições e até sumiço de amante: como é a vida amorosa de Putin

Vida íntima de Putin é cercada de mistérios e rumores - Alexey Nikolsky/Sputnik/AFP
Vida íntima de Putin é cercada de mistérios e rumores Imagem: Alexey Nikolsky/Sputnik/AFP

Franceli Stefani

Colaboração para o UOL

24/03/2022 04h00

Do imaginário dos filmes de ficção à realidade - mais ou menos - secreta de um ex-agente da KGB (Comitê de Segurança do Estado) que ascendeu ao poder. Ele é Vladimir Vladimirovich Putin, o presidente da maior nação, em território, a Rússia. Um homem frio, circunspecto e cheio de segredos, tanto nas posições que ocupou no serviço secreto russo quanto na vida amorosa.

A única relação oficial de Putin foi com Lyudmila Aleksandrovna Putina. O matrimônio deles durou três décadas, de 1983 a 2013. Sempre discreto, nunca expôs sua vida pessoal. Os dois tiveram duas filhas. O portal português Visão revelou que tudo começou quando se conheceram em Leningrado, atual São Petersburgo. O contato foi proporcionado por um amigo em comum que convidou Putin, então agente da KGB, para assistir a uma peça acompanhado de colegas.

Foi nos anos de 1980 que eles teriam começado um romance secreto. Inclusive, ela iniciou o vínculo como amante. Antes de se casar, Lyudmila trabalhou nos correios, em uma fábrica de máquinas e como assistente de bordo, profissão que atuava quando conheceu o futuro marido. Também deu aulas de alemão e espanhol. Raramente aparecia em público. Os registros se limitavam ao protocolo político e diplomático exigido.

Embora ela tivesse anseios e vontades, Putin nunca deixou que se destacasse. Em sua visão, a primeira-dama deveria "ser modesta e não se destacar". O portal ainda informou que Putin costumava levar uma vida de solteiro. Oficialmente, Putin tem duas filhas adultas, Maria e Katerina. Ambas do casamento de três décadas com Lyudmila.

07.mai.2012 - O presidente russo, Vladimir Putin, e sua mulher Lyudmila, assistem à cerimônia religiosa durante a posse dele em uma das catedrais no Kremlin, em Moscou. - Alexander Druzhinyn/EFE - Alexander Druzhinyn/EFE
Lyudmila Aleksandrovna Putina e Vladimir Putin foram casados por 30 anos
Imagem: Alexander Druzhinyn/EFE

Em 2013, o relacionamento dos dois teve um fim. De acordo com o Visão, a ex-esposa disse que o fim foi motivado porque o marido trabalhava de 16 a 17 horas por dia. "O nosso casamento acabou devido ao fato de mal nos vermos. Vladimir está completamente submerso em trabalho. As nossas filhas cresceram, cada uma vive a própria vida. E eu realmente não gosto de publicidade". Em junho daquele ano, Putin disse ao canal 24, segundo a agência Interfax, que foi uma "decisão em comum".

O Rei do Lar

Foi em 2005 uma das raras entrevistas dadas pela família Putin. Lyudmila relatou o cotidiano do casal para três jornais russos. Lá, ela dizia que era ele quem dava a palavra final, demonstrando sua autoridade, também em casa. Trabalho, como ela contou, não era algo tratado. "Perguntar algo sobre seus planos de trabalho é inútil, é claro. É melhor nem perguntar". Ela, no entanto, alfineta: "Talvez ele não o faça porque eu poderia acabar impingindo minha opinião a ele".

Ainda assim, a ex acreditava que o marido ouvia o que ela falava. "Mas ele nunca me disse: aqui eu levo em consideração a sua opinião." A falta de diálogo, que mais tarde seria um dos pontos levantados na separação. "Quem quiser falar com ele deve esperar ele chegar à mesa à noite com o seu copo de iogurte", afirmou.

Relacionamento extraconjugal

Uma das ginastas rítmicas mais bem-sucedidas da Rússia, Alina Kabaeva é apontada como uma das amantes do presidente russo. Ela se envolveu com a política pró-governo e é presidente da empresa de mídia estatal. Hoje, Alina estaria escondida na Suíça, junto com seus quatro filhos do relacionamento com o presidente.

O site americano Page Six é quem dá as informações. De acordo com uma fonte anônima, ela estaria em um "chalé muito privado e muito seguro". A medalhista de ouro olímpica teria quatro filhos com Putin. Essa informação nunca foi confirmada por nenhum dos dois. Sem dar espaço para questionamentos, principalmente da mídia, o líder da Rússia é enfático em dizer que não permite interferência em sua vida pessoal.

Alina Kabaeva - Divulgação - Divulgação
Uma das ginastas rítmicas mais bem sucedidas da Rússia, Alina Kabaeva é apontada como uma das amantes de Putin
Imagem: Divulgação

Alina venceu 14 medalhas em campeonatos mundiais e outras 21 em campeonatos europeus. Durante sua trajetória no esporte, foi apelidada de "a mulher mais flexível da Rússia" e posou nua para uma revista masculina. Um jornal russo anunciou, em 2008, o divórcio de Putin com sua esposa, alegando que ele estava prestes a se casar com a atleta. A informação foi negada pelo Kremlin e o jornal foi fechado.

Filha de 18 anos

Atribui-se também a Putin uma outra filha. Elizaveta Krivonogikh, 18 anos, supostamente nascida em 2003, de um relacionamento extraconjugal com uma faxineira de uma loja de bairro, Svetlana Krivonogikh, que teria se tornado multimilionária. A informação é do jornal El País. A jovem, quando teve seu nome vinculado ao do presidente, precisou excluir suas redes sociais porque começou a ser atacada. Foi chamada de "filha do Diabo" e "criminosa de guerra".

Os indícios de que ele seria o pai da jovem surgiram em 2020. Logo depois, a BBC divulgou a história. O caso entre os dois teria acontecido no fim dos anos 90. De pobre, ela se tornou co-proprietária de um banco russo. Mesmo período em que se tornou mãe. Ela é dona de um apartamento de luxo no complexo Monte Carlo Star, como mostram documentos vazados pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ) e compartilhados com o Washington Post.

O dossiê, que faz parte do Pandora Papers, mostra que a mulher tinha uma empresa de fachada nas Ilhas Virgens Britânicas e usou os serviços financeiros de uma instituição de Mônaco que trabalhava para um dos amigos bilionários de Putin.

Outra situação que não é vista como coincidência é a semelhança com o autocrata. Embora ela não confirme a ligação, reconhece as características. O Jornal El País afirma que não há registros do pai de Elizaveta nos documentos oficiais russos obtidos pelo Proekt e revisados pelo Washington Post. Mas figura um segundo nome, "Vladimirovna", um patronímico que significa "filha de Vladimir". No extinto Instagram, com 83 mil seguidores, ela se chamava de "rozova luiza v".

As filhas reconhecidas

Maria é a primogênita. Dentro do seio familiar é tratada como Masha. Ela tem 36 anos, é casada, é médica endocrinologista e tem identidade falsa. De acordo com sites de notícias, um dos nomes já usados por ela é o de Maria Vorontsova. Casada com o empresário holandês, Jorrit Faassen, vivem em Moscou. Ela é mãe do primeiro neto de Putin. Ele nasceu em 2002. No entanto, há rumores de que o presidente da Rússia teria um outro neto, mas ele e nem ninguém confirmou essa informação.

Katerina, 35, anos perseguiu a carreira como bailarina e se licenciou em Estudos Asiáticos. Por cinco anos ela teria sido casada com o bilionário mais jovem da Rússia, mas o casamento teria terminado. Ela também encabeça um projeto de inteligência artificial avaliado em 1,7 milhão de dólares para criar um centro de ciência na Universidade Estatal de Moscou. Pouco se sabia sobre ela até que um blogueiro russo, Oleg Kashin, revelou que a filha do presidente havia adotado o sobrenome da avó, Yekaterina Tikhonovna Shkrebneva.

Katerina, filha de Putin, durante competição de dança na Polônia - Jakub Dabrowski/Reuters - Jakub Dabrowski/Reuters
Katerina, filha de Putin, perseguiu a carreira como bailarina e se licenciou em Estudos Asiáticos
Imagem: Jakub Dabrowski/Reuters

Conforme o site de lifestyle americano, The List, em 2015 o presidente fez um raro comentário sobre as filhas. Dizia-se orgulhoso da trajetória profissional e por falarem vários idiomas. Durante a pandemia, inclusive, Putin anunciou que uma das suas filhas foi inoculada com uma vacina desenvolvida no país.

Internacional