PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
4 meses

Homem vai parar na UTI após masturbação causar lesão pulmonar rara

Exames também detectaram um enfisema subcutâneo em paciente internado após se masturbar - Divulgação/Radiology Case Reports
Exames também detectaram um enfisema subcutâneo em paciente internado após se masturbar Imagem: Divulgação/Radiology Case Reports

Colaboração para o UOL, em São Paulo

14/04/2022 10h18

Um suíço de 20 anos foi parar na UTI em razão de complicações no funcionamento de seus pulmões, provocadas por uma condição rara. Estima-se que o problema surgiu logo após o homem se masturbar.

Médicos do hospital Kantonsspital Winterthur, no nordeste de Zurique, publicaram o caso estranho na revista médica Radiology Case Reports, devido ao incomum diagnóstico. De acordo com a nota, o paciente, cuja identidade não foi revelada, foi internado com dificuldades para respirar, inchaço no rosto e dores agudas no peito, segundo informações do jornal suíço Der Landbote.

Os especialistas ficaram ainda mais surpresos quando o jovem alegou ter se sentido mal depois da masturbação, já que, à primeira vista, o ato não pareceu ter relação com o problema de saúde.

Após a realização de radiografias no tórax, os médicos diagnosticaram o homem com pneumomediastino espontâneo, que consiste na presença repentina de ar no mediastino—um espaço entre os dois pulmões—, geralmente causada por vômitos, dores, exercícios extenuantes ou asma.

Esta é a primeira vez que um episódio de pneumomediastino espontâneo foi documentado associado à masturbação, segundo o estudo. Os especialistas ressaltaram a existência de casos ligados à rara condição que surgiram após relações sexuais ou uso de drogas recreativas, como o ecstasy.

"Apresentamos o caso de um jovem saudável que desenvolveu pneumomediastino e enfisema subcutâneo profundo com início durante a masturbação. Como não há literatura sobre pneumomediastino espontâneo associado a experiências autoeróticas, consideramos nosso caso uma apresentação incomum dessa entidade", declararam os especialistas na publicação.

Além disso, os exames detectaram um profundo enfisema subcutâneo, responsável por deixar o ar preso entre os tecidos do corpo. Por isso, o paciente teve inchaço no rosto e ouviu ruídos em seu corpo.

De acordo com o histórico médico do paciente, ele tem asma leve, que trata há anos sem medicação, além do transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH). Apesar desses quadros, os médicos ainda buscam justificativas para a manifestação da condição nos pulmões. No entanto, eles afirmam que o problema acontece raramente e afeta com cerca regularidade homens na faixa etária dos 20 anos.

O paciente foi admitido na UTI devido à alta demanda por oxigênio, mas, ao receber tratamento com antibióticos por três dias, foi transferido para a enfermaria, onde não apresentou mais quadros agressivos de pneumomediastino espontâneo e do enfisema, e se recuperou bem. No quarto dia de hospitalização, o paciente recebeu alta.

Internacional