PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Minhocas saltadoras alertam ambientalistas: 'Se comportam como cobras'

Colaboração para o UOL, em São Paulo

28/05/2022 04h00Atualizada em 28/05/2022 16h08

Uma espécie de minhoca conhecida por seu apetite voraz e capacidade de pular 30 cm no ar está se proliferando pela Califórnia (EUA), o que vem deixando os cientistas preocupados com uma possível ameaça ao ecossistema local.

A Amynthas agrestis, também conhecida como minhoca saltadora, foi vista em várias localidades do estado norte-americano nos últimos meses. O animal é nativo de países como o Japão e as Coreias.

Nos últimos anos, essas minhocas chegaram à América do Norte junto a plantas importadas do leste da Ásia, informou o jornal britânico The Guardian.

As minhocas foram vistas inicialmente em 2014, em Wisconsin e na Nova Inglaterra, mas gradualmente foram migrando em direção ao oeste do país, passando por dezenas de estados. Sua primeira aparição na Califórnia ocorreu na cidade de Napa, em julho de 2021.

Estima-se que a Amynthas agrestis pode medir até 20 cm de comprimento. As minhocas dessa espécie são hermafroditas, portanto podem se reproduzir sem depender do acasalamento e produzir casulos na superfície do solo.

"Essas minhocas são extremamente ativas, agressivas e têm apetite insaciável", apontou um relatório do Departamento de Alimentação e Agricultura da Califórnia (CDFA, na sigla em inglês). "Fiéis ao seu nome, eles pulam e se debatem imediatamente quando são manuseadas, comportando-se mais como uma cobra ameaçada do que uma minhoca, às vezes até quebrando e soltando o rabo quando pegas".

Apreensão

O que está deixando cientistas e ambientalistas apreensivos é o impacto dessas minhocas nas formas de vida das camadas florestais californianas.

As minhocas saltadoras podem devorar rapidamente folhas caídas, comprometendo então a camada superior do solo das florestas da qual muitas plantas, animais e organismos dependem para a sua sobrevivência. Essas devoradoras podem levar até cinco anos para acabar com a cobertura de matéria orgânica de um ecossistema.

"Elas são destrutivas e causam sérios danos às florestas de madeira de lei, que dependem de espessas camadas de serrapilheira, que servem como meio de enraizamento", explicou o CDFA.

Por efeito, a presença dessa espécie invasora pode alterar radicalmente a dinâmica da flora local, alertou Mac Callaham, pesquisador do Serviço Florestal do Departamento de Agricultura dos EUA.

"O solo é a base da vida e as minhocas vermes saltadores asiáticos mudam isso. Na verdade, elas podem ter impactos tão grandes que são capazes de alterar os ecossistemas ao seu redor".

Existe solução?

Os especialistas indicaram que uma estratégia básica para eliminar as minhocas é ensacá-las e jogá-las no lixo, ou colocá-las em um saco e deixá-las ao sol por pelo menos 10 minutos antes de descartar o saco.

O CDFA aponta que elas provavelmente vão se distribuir pelas camadas florestais da Califórnia e locais de produção, como ambientes residenciais e comerciais.

"Se essas minhocas não se espalhassem pelas florestas e áreas naturais, elas não seriam um problema tão grande", disse Callaham. "Mas, infelizmente, elas simplesmente não vão ficar onde nós as colocamos. A melhor maneira de prevenir futuras invasões é evitar a movimentação de minhocas".

Internacional