Conteúdo publicado há 4 meses

Israel proíbe aproximação da fronteira com Líbano após míssil do Hezbollah

A guerra entre Israel e o grupo extremista Hamas chega hoje ao nono dia com a expectativa de invasão da Faixa de Gaza por Forças de Segurança Israelense, após o fim do prazo para evacuação do território.

Hoje, Israel delimitou uma área ao norte em que fica proibida a presença de civis após ataque do grupo Hezbollah.

O que aconteceu

O exército israelense declarou uma zona de 4 km da fronteira libanesa como inacessível ao público a partir de hoje e disse que estava deliberadamente interrompendo os serviços de GPS lá e na frente sul com Gaza como parte de suas operações.

As interrupções de GPS podem afetar as funções dos aplicativos, disse o porta-voz militar-chefe, Contra-Almirante Daniel Hagari, no X, a plataforma de mídia social anteriormente conhecida como Twitter.

A delimitação foi determinada depois de o Hezbollah ter declarado que disparou um míssil contra a vila israelense de Shtula que matou uma pessoa e feriu três.

China alerta para ações em Gaza

O ministro do exterior chinês, Wang Yi, disse que as ações de Israel em Gaza tem ido "além da auto-defesa" e que o governo do país deve cessar a "punição coletiva" contra a população do território palestino.

Wang disse ainda que "todas as partes não devem tomar nenhuma atitude que eleve a tensão na região e devem voltar à mesa de negociação o mais rápido possível."

As declarações de Wang foram dadas em telefonema ao embaixador da Arábia Saudita na Alemanha Faisal bin Farhan, de acordo com o jornal "The Times of Israel".

Continua após a publicidade

Brasileiros repatriados

Chegou ao Brasil na madrugada de hoje o quinto avião da FAB (Força Aérea Brasileira) que buscou brasileiros em Israel após o início da guerra com o Hamas há uma semana

Neste quinto voo foram resgatadas 215 pessoas. A aeronave chegou no aeroporto do Galeão. Já são 916 brasileiros repatriados a partir de Israel.

Resgate de brasileiros em Gaza

O governo aguarda ainda as condições de segurança para resgatar ao menos dezesseis brasileiros - entre adultos e crianças - que foram transferidos neste sábado (14), para a cidade de Rafah, perto da fronteira com o Egito, na região sul.

Inicialmente, o grupo aguardaria na cidade de Khan Yunis pela autorização do governo do Egito para ingressar em território egípcio e embarcar em um voo de volta ao Brasil.

Continua após a publicidade

Brasil propõe cessar-fogo

O governo brasileiro propôs uma resolução alternativa no Conselho de Segurança da ONU, sugerindo a criação de um corredor humanitário em Gaza e um cessar-fogo capaz de permitir que civis sejam atendidos na região que vive uma crise sem precedentes em anos.

* Com agências Reuters e AFP

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes