Conteúdo publicado há 4 meses

Hamas libera 17 reféns em troca de 39 palestinos no 2º dia de trégua

O grupo extremista Hamas liberou mais 17 reféns no segundo dia de trégua na guerra com Israel, em troca de 39 palestinos que estavam detidos em Israel desde antes do conflito atual.

O que aconteceu

Foram libertos 13 israelenses e 4 tailandeses, segundo o Exército de Israel. A liberação foi divulgada pelo Hamas e posteriormente confirmada por autoridades de Israel e Qatar. Imagens de monitoramento mostraram quando o comboio cruzou a fronteira.

33 crianças e 6 mulheres foram soltas por Israel, informou a autoridade penitenciária de Israel momentos após a liberação dos reféns.

O comboio da Cruz Vermelha cruzou a fronteira de Egito com Israel pouco depois da meia-noite (horário local). As Forças de Defesa de Israel afirmaram que os resgatados irão a hospitais para se reencontrar com suas famílias, e que eles já estão sendo acompanhados por militares israelenses.

Inicialmente, o Hamas divulgou ter liberado 20 reféns, sendo sete estrangeiros. Depois, atualizou a informação para quatro estrangeiros.

Reféns liberados pelo Hamas são levados em carro da Cruz Vermelha
Reféns liberados pelo Hamas são levados em carro da Cruz Vermelha Imagem: Ibraheem Abu Mustafa - 25.nov.2023 Reuters

Os israelenses soltos

O jornal Times of Israel divulgou a identificação dos reféns israelenses soltos hoje. São eles:

  • Shoshan Haran, 67 anos, sua filha Adi Shoham, 38 anos, e seus netos Yahel, 3, e Naveh, 8
  • Shiri Weiss, 53 anos, e sua filha Noga Weiss, 18 anos
  • Maya Regev, 21 anos
  • Hila Rotem, 12 anos
  • Emily Hand, 9 anos
  • Noam Or, 17 anos, e sua irmã Alma Or, 13 anos
  • Noam Avigdori, 12 anos, e sua mãe Sharon Avigdori, 52 anos
Continua após a publicidade

Festa para palestinos soltos

Imagens publicadas nas redes sociais do Hamas mostram celebrações nas ruas, após a chegada de uma prisioneira liberta ao campo Qalandia, ao norte de Jerusalém.

O grupo é formado por mulheres e adolescentes menores de 19 anos. Uma delas é Israa Jaabis, que estava presa desde 2015, quando planejava realizar um atentado suicida, segundo Israel. Não foram divulgados os nomes de todos os palestinos soltos.

Presa desde 2015, quando tinha 16 anos, a jovem palestina Marah Bakeer pode rever a mãe, Sawsan. O vídeo mostrando o abraço emocionado entre as duas viralizou nas redes sociais. A chegada dela foi acompanhada pela TV estatal qatari Al Jazeera.

Em 12 de outubro de 2015, ela foi presa e baleada por militares israelenses, sob a acusação de que teria tentado esfaquear um deles.

Continua após a publicidade

A família de Marah sempre negou as acusações. Ela foi condenada a oito anos e seis meses de prisão.

Atraso na liberação

Prevista para as 16h local, a liberação atrasou e só ocorreu no fim da noite. O ministério das Relações Exteriores do Qatar afirmou que "obstáculos" precisaram ser resolvidos no acordo. Autoridades do Egito e Estados Unidos também atuaram nas negociações.

A maioria dos reféns israelenses libertados hoje são do kibutz Be'eri, segundo o jornal egípcio Channel 12. A comunidade foi uma das mais atingidas no dia 7 de outubro.

Ontem, 24 reféns —13 israelenses, 10 tailandeses e um filipino— chegaram a Israel pelo Egito. Já o governo de Benjamin Netanyahu liberou 39 palestinos então detidos em seus presídios.

Continua após a publicidade

O acordo prevê que 50 reféns voltem para Israel e 150 detentos palestinos sejam devolvidos em quatro dias de trégua. Nesse período também foi autorizada a entrada de ajuda humanitária na Faixa de Gaza.

O Hamas ainda manteria reféns 215 pessoas. "Não sabemos se eles estão mortos ou vivos", afirmou o porta-voz das Forças Armadas israelenses, Doron Spielman.

A volta para casa

Os primeiros reféns libertados pelo Hamas chegaram ontem a Israel, 49 dias após o início do conflito. Ontem, o grupo foi colocado em ambulâncias da Cruz Vermelha com destino a Khan Younis, no sul de Gaza, para realizarem a passagem para o Egito.

Já em Israel, os reféns foram levados para hospitais. O Soroka Medical Center, o Schneider Children's Medical Center, o Shamir Medical e o Wolfson Medical Center estavam preparados para receber os 24 reféns, segundo informou o jornal Times Of Israel.

Continua após a publicidade

O primeiro-ministro, Netanyahu, comemorou a libertação e garantiu que Israel está "empenhado em devolver todos": "Este é um dos objetivos da guerra e estamos empenhados em alcançar todos os objetivos da guerra", afirmou.

O líder do Hamas, Ismail Haniyeh, disse que o grupo está empenhado em cumprir os termos da trégua, "desde que Israel faça o mesmo".

Ajuda humanitária em Gaza

Mais de 200 caminhões já entraram na Faixa de Gaza desde o início do cessar-fogo, segundo o jornal The Times of Israel. Alguns deles levam combustível e gás de cozinha para organizações de ajuda humanitária da ONU.

Continua após a publicidade

Deixe seu comentário

Só para assinantes