Conteúdo publicado há 2 meses

'Defenderemos Essequibo', diz Maduro após Corte de Haia ir contra referendo

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, se manifestou a favor da anexação da região em disputa com a Guiana após a Corte Internacional de Justiça se posicionar contra o referendo convocado pelo venezuelano.

O que aconteceu

"Não deixaremos que ninguém tire o que nos pertence. [...] Defenderemos Essequibo!", escreveu Maduro em uma mensagem no X (antigo Twitter).

A Corte de Haia deu vitória a uma contestação da Guiana ao referendo convocado por Maduro para o dia 3 de dezembro. Na decisão, obtida pelo colunista do UOL Jamil Chade, foi entendido de forma unânime que o governo da Venezuela deve evitar qualquer ação que modifique a situação do território em disputa, até que o tribunal julgue o mérito da questão.

A tensão é pela região de Essequibo, disputada pela Venezuela e pela Guiana desde 1899. Em seus argumentos, a Guiana pede a preservação de sua integridade territorial e dos acordos de fronteiras existentes desde então.

Território é rico em recursos naturais. Hoje, a Guiana tem uma reserva estimada em 11 bilhões de barris, o que equivale a cerca da 75% da reserva brasileira de petróleo e supera as reservas do Kuwait e dos Emirados Árabes Unidos. Isso está trazendo muito dinheiro ao país e acelerando o seu crescimento, e chamou a atenção de Maduro —que afirma que a zona marítima em frente ao Essequibo é, na verdade, da Venezuela.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes