Pornografia e cobras: a história macabra da paradisíaca 'ilha do terror'

Olhando apenas a foto, a North Fox Island, localizada no estado de Michigan, nos Estados Unidos, é um lugar paradisíaco. A história da ilha, no entanto, é marcada por passagens macabras, que a fizeram ganhar o apelido de ilha do terror.

O que aconteceu lá?

Proprietários da ilha foram indiciados por comandar uma rede de pornografia infantil. A ilha pertencia a Francis Sheldon e Gerald Richards, nas décadas de 1960 e 1970, segundo o jornal The Sun.

Sheldon e Richards criaram uma instituição de caridade chamada Missão Infantil do Irmão Paul. Eles levavam as crianças para a ilha no avião particular de Sheldon. Lá os crimes eram cometidos, segundo investigação do FBI (Departamento de Investigação Federal dos Estados Unidos).

Richards foi preso e ficou na cadeia até se matar. Já Sheldon teria fugido para a Holanda e foi dado como morto em 1996, sem cumprir pena pelos crimes para os quais foi considerado culpado.

Investigação apontou relação entre sequestros de crianças e esquema na ilha. Em 1977, quatro crianças —com idades entre 10 e 12 anos— foram sequestradas do condado de Oakland, em Michigan. Elas foram encontradas mortas 19 dias depois em estradas do condado.

Pista repleta de cobras. Anos depois, a ilha se tornou um lugar com potencial turístico, principalmente por causa de seus prédios antigos. No entanto, para chegar lá é preciso pousar de avião ou helicóptero em uma pista repleta de cobras.

Ilha pertence ao estado de Michigan

A North Fox Island foi comprada pelo magnata do ramo imobiliário David Johnson, em 1994, por 1,3 milhão de dólares, após o escândalo com Sheldon e Richards.

Continua após a publicidade

O estado de Michigan comprou a ilha do terror no início dos anos 2000 por 2 milhões de dólares. O local se tornou parte da área de Pesquisa da Vida Selvagem do Estado das Ilhas Beaver.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora