Conteúdo publicado há 1 mês

Governo de Israel quer acabar com os palestinos na Faixa de Gaza, diz Lula

O presidente Lula (PT) voltou a criticar Israel e disse que o governo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu quer "efetivamente" acabar com os palestinos na Faixa de Gaza. Para Lula, que também condenou o "gesto terrorista" do Hamas, é hipocrisia achar que "uma morte [judeus] é diferente da outra [palestinos]".

O que aconteceu

Presidente repetiu que Israel comete um genocídio em Gaza. "Eu considero um genocídio porque é um Exército amplamente armado atacando uma parte da sociedade indefesa", disse Lula ao jornalista Kennedy Alencar, no programa "É Notícia", da RedeTV!. A entrevista foi exibida nesta terça (27).

Lula negou que tivesse usado a palavra 'Holocausto' ao falar de Israel. Segundo o presidente, o termo foi uma "interpretação" de Netanyahu. "Eu não esperava que o governo de Israel fosse compreender. Eu não esperava, porque eu conheço o cidadão historicamente há algum tempo, eu sei o que ele pensa ideologicamente", acrescentou, fazendo referência ao premiê israelense.

Fomos os primeiros a condenar o gesto terrorista do Hamas, declarou. Para Lula, no entanto, é hipocrisia criticar o grupo extremista e defender os ataques de Israel em Gaza. "A gente não pode ser hipócrita de achar que uma morte é diferente da outra", disse. "Eu não posso condenar o gesto terrorista do Hamas e ver o Estado de Israel (...) fazendo com inocentes as mesmas barbaridades".

Presidente disse que o alvo de suas críticas é Israel, e não os judeus. Lula afirmou que separa Israel e Netanyahu do povo judeu, mas reforçou que "não é só um lado que tem dor". "Nunca misturo a atitude de um povo com a atitude de um governante. E o que eu quero dizer em alto e bom som é o seguinte: o primeiro-ministro de Israel está praticando genocídio contra mulheres e crianças".

O governo de Israel quer efetivamente acabar com os palestinos na Faixa de Gaza. É isso. É exterminar aquele espaço territorial com o povo palestino para que eles ocupem. Não tem outra explicação. (...) É só você ler o depoimento dos Médicos Sem Fronteiras. (...) Pega depoimento da Cruz Vermelha. Pega criança dizendo que prefere morrer do que ser tratada do jeito que estão sendo tratadas, sem anestesia. Isso é genocídio ou não é genocídio?
Lula, em entrevista ao "É Notícia", da RedeTV!

Falas de Lula sobre Hitler

Lula comparou ações de Israel com a morte de judeus por Hitler. As declarações foram feitas no último dia 18, durante coletiva, após o presidente participar da 37ª Cúpula de Chefes de Estado e Governo da União Africana em Adis Abeba, na Etiópia. "O Brasil condenou o Hamas, mas não pode deixar de condenar o que o Exército de Israel está fazendo", afirmou (assista abaixo).

Fala gerou forte reação do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. O premiê de Israel descreveu os comentários como "vergonhosos e graves", acusando Lula de banalizar o Holocausto e ofender o povo judeu. "Fazer comparações entre Israel, os nazistas e [Adolf] Hitler é cruzar uma linha vermelha", disse Netanyahu em comunicado.

Continua após a publicidade

Israel agora considera Lula como 'persona non grata'. O ministro israelense das Relações Exteriores, Israel Katz, disse no dia 19 que Lula não será bem-vindo até que se retrate pelos comentários feitos sobre a guerra. "Não vamos esquecer, nem perdoar. Trata-se de um grave ataque antissemita", declarou.

Deixe seu comentário

Só para assinantes