Conteúdo publicado há 1 mês

Fóssil achado por criança em praia na Inglaterra é de réptil com 25 metros

Uma mandíbula gigante, encontrada por uma menina de 11 anos e seu pai em uma praia na Inglaterra, pertence a uma nova espécie de ictiossauro, que viveu há 200 milhões de anos.

O que os cientistas descobriram

A ossada foi achada em 2020, por Ruby Reynolds, e o pai, Justin, na praia de Blue Anchor, em Somerset. Após quatro anos de estudos, cientistas acreditam que o fóssil pertença a uma nova espécie do maior réptil marinho já existente: o ictiossauro.

Ictiossauro viveu há cerca de 200 milhões de anos. Batizada de Ichthyotitan severnensis, que significa "peixe-lagarto gigante do Severn" (rio que deságua no canal de Bristol), ela é um tipo de ictiossauro, que viveu durante o tempo dos dinossauros, no final do período Triássico.

Animal estava em fase de crescimento. Análise histológica realizada por Marcello Perillo, da Universidade de Bonn, revelou que o animal provavelmente ainda estava em crescimento no momento da morte.

O réptil teria ao menos 25 metros de comprimento. A espécie representa "o maior réptil marinho" que já existiu, segundo explica Dean Lomax, paleontólogo da Universidade de Bristol e coautor do estudo publicado ontem (17) no jornal científico Plos One.

A estimativa de tamanho foi obtida comparando a descoberta com outros fósseis. Os pesquisadores compararam o tamanho da mandíbula encontrada na Inglaterra, cuja curvatura possui mais de dois metros de comprimento, a uma descoberta anterior feita pelo especialista do Museu da Vida Marinha Jurássica, em Dorset, Paul de la Salle, em 2016, sugerindo que se tratava de uma nova espécie de ictiossauro.

Os ictiossauros se pareciam um pouco com os golfinhos modernos. Eles apareceram pela primeira vez há cerca de 250 milhões de anos. Com o tempo, alguns deles desenvolveram corpos maiores e, há 202 milhões de anos, gigantes como o severnensis eram provavelmente os maiores répteis marinhos.

O Ichthyotitan severnensis rivaliza em tamanho com a baleia azul. O cetáceo pode chegar aos 30 metros de comprimento e pesar cerca de 180 toneladas.

A mandíbula será exibida no Museu e Galeria de Arte de Bristol, no Reino Unido.

Continua após a publicidade

Deixe seu comentário

Só para assinantes