Conteúdo publicado há 1 mês

Governo de Milei diz que expulsará estrangeiros que cometam crimes no país

A Argentina irá expulsar estrangeiros que cometam crimes no país, disse o porta-voz da Presidência, Manuel Adorni, em entrevista coletiva nesta terça-feira (23).

O que aconteceu

Manuel Adorni esclareceu que medida é orientação do presidente Javier Milei. "Estamos trabalhando intensamente, já que foi a instrução do presidente Javier Milei, para que as pessoas estrangeiras que cometam crimes na Argentina sejam expulsas imediatamente do país. Isso é uma obviedade, mas evidentemente a política não tem se ocupado disso nos últimos tempos", afirmou o porta-voz da Casa Rosada.

Apesar do anúncio, o porta-voz não detalhou quando a medida entrará em vigor. Essa não é a primeira vez que o governo do presidente ultraliberal propõe a expulsão de estrangeiros que cometam crimes no país.

Em janeiro deste ano, a ministra de Segurança, Patricia Bullrich, já havia defendido a medida. Em entrevista a uma rádio local, ao comentar o assassinato de cinco pessoas na cidade de González Catán, a ministra afirmou que o governo irá propor uma lei que modifique a situação atual. "Quem vem para usurpar, para matar, deve ser expulso, a menos que tenha nascido na Argentina ou tenha residência permanente. Essa é uma medida corretiva que deve ser tomada imediatamente", defendeu.

Para Bullrich, caso o crime cometido seja grave, a pena deve ser cumprida na Argentina. "Vamos mudar as leis, depois de votadas, para que os estrangeiros que cometem crimes na Argentina e estejam em situação irregular saiam do país. Claro que há estrangeiros que cometem crimes e causam danos gravíssimos. Esses têm que cumprir pena. Caso contrário, sair do país seria como uma salvação", argumentou. As informações são do jornal argentino Infobae.

Ela ainda rebateu críticas sobre a sua declaração. "Outro dia houve cinco mortes, de que direitos humanos estamos a falar? Deixe-os entrar na fila, um após o outro, para nos dizer o que devemos fazer para salvar a vida dos argentinos", afirmou.

O ministro do Interior, Guillermo Francos, também já havia feito considerações sobre o tema. Para ele, "os estrangeiros que cometem crimes devem cumprir a pena para depois serem expulsos do país com proibição de reentrada".

Deixe seu comentário

Só para assinantes