Topo

Gisele Bündchen estrela campanha de energia sustentável da ONU

Reprodução
A brasileira Gisele Bündchen estrela vídeo da ONU (Organização das Nações Unidas) sobre energia sustentável ao lado de Al Gore (esq), ex-vice dos Estados Unidos, e Kandeh Yumkella (centro), diretor-geral da Unido Imagem: Reprodução

Edgard Júnior

Da Rádio ONU, em Nova York

2013-02-27T11:41:56

27/02/2013 11h41

A modelo brasileira Gisele Bündchen e o ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore decidiram prestar apoio público à iniciativa da ONU (Organização das Nações Unidas), Energia Sustentável para Todos. O projeto lançado por Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU, tem três objetivos para melhorar o setor energético até 2030. 

O primeiro é fornecer acesso universal aos modernos serviços de energia. O programa visa ainda não só dobrar a eficiência energética, mas também dobrar a fatia do uso de energia renovável no mundo inteiro.

O vídeo de serviço público, que conta também com a presença do diretor-geral da Unido (organização da ONU para o Desenvolvimento Industrial), Kandeh Yumkella, pode ser visto pela internet e na TV CNN Internacional.

Gisele, que também é Embaixadora da Boa Vontade do Pnuma (Programa da ONU para o Meio Ambiente), e Al Gore alertam na campanha que o Estado norte-americano de Nova York gasta, sozinho, mais eletricidade do que toda a África subsaariana.

Transformação do planeta

Eles dizem ainda que quase 1,5 bilhão de pessoas no mundo não têm acesso à eletricidade e que aproximadamente 3 bilhões inalam gases tóxicos quando cozinham. Especialistas dizem que esses gases podem ser fatais.

No vídeo, o grupo enfatiza que a energia pode transformar economias, vidas, continentes e até mesmo o planeta. Segundo eles, a energia pode impulsionar o desenvolvimento, o avanço das mulheres, o progresso e o crescimento.

A Assembleia Geral da ONU declarou o período de 2014-2024 como a "Década para a Energia Sustentável para Todos". Na conferência Rio +20, realizada no ano passado, a Iniciativa recebeu promessa de US$ 50 bilhões para avançar com seus objetivos.

Mais Meio Ambiente