Topo

Empresa brasileira cria equipamento para reaproveitar água do chuveiro

O coletor Aguawell armazena até 12 litros de água, quantidade que equivale a duas descargas, e é feito de plástico com uma placa de borracha microporosa e antiderrapante - Divulgação
O coletor Aguawell armazena até 12 litros de água, quantidade que equivale a duas descargas, e é feito de plástico com uma placa de borracha microporosa e antiderrapante Imagem: Divulgação

Thamires Andrade

Do UOL, em São Paulo

25/06/2015 06h00

Uma das principais orientações para enfrentar a crise hídrica é reaproveitar a água, principalmente nas tarefas em que ela não precisa estar "limpa", como na hora de dar a descarga e lavar a casa. Depois de observar em um programa de televisão o sistema Gris, plataforma composta de quatro partes para armazenar a água do chuveiro, o casal de inventores Flavia Arantes Jensen e Soren Jensen resolveu utilizar o mesmo conceito para criar um novo produto: um sistema de armazenamento de água menor, mais leve e barato, mas sem perder a eficácia.

Foi assim que o casal e mais um sócio da empresa Lakefarm desenvolveram o Aguawell. “O inventor daquele outro sistema não desenvolveu um produto, apenas o protótipo. A gente foi atrás e viu que tratava-se de um produto complexo, ele tinha mais de 20 partes, era caro de produzir e difícil de manusear. Por isso a gente criou um novo coletor, apenas a ideia inicial de reutilizar a água do banho que permaneceu", explicou Flavia ao UOL.

O coletor armazena até 12 litros de água, quantidade que equivale a duas descargas, e é feito de plástico com uma placa de borracha microporosa e antiderrapante. “O produto suporta uma pessoa de até 120 quilos e, quando vazio, pesa 1,5 quilo. No entanto, quando está com toda capacidade preenchida, chega a pesar uns 12 quilos, por isso conta com uma alça para facilitar o manuseio”, afirma Flavia.

A Lakefarm se preocupou em criar um produto pequeno, que coubesse em qualquer tipo de box. “A água pode ser utilizada tanto para dar a descarga quanto na limpeza da casa. Além disso, quem não quiser utilizar toda a água de uma vez, pode armazenar o que foi coletado pelo Aguawell em bombas ou tanques”, afirma Flavia.

Financiamento coletivo para sair do papel

A empresa criou um financiamento coletivo na página Kickante para tirar o produto do papel. O objetivo é reunir R$ 80.000 para fabricar o produto, que, futuramente, também será vendido em uma loja online.

O site permite doações de qualquer valor a partir de R$ 10, sendo que a cada R$ 199 coletados, um produto será doado para a ONG Instituto Verdescola, que atende a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social em São Sebastião, litoral norte de São Paulo.

“Também há a opção de se tornar um apoiador, em que a pessoa paga R$ 199 e ganha um Aguawell para sua casa. No valor, já está incluso o frete para qualquer lugar do Brasil”, conta Flavia.

A empresa pretende baratear o custo do produto, que, segundo Flavia, ficou mais caro do que pretendiam. “Estamos buscando parcerias para baratear a produção do coletor para que ele seja acessível para a maior quantidade de pessoas possível”, finaliza.

Até o fechamento da reportagem, o projeto já tinha alcançado mais de R$ 17.000 e ficará disponível até o dia 30 de julho. Caso o montante que a empresa solicitou para arrecadação não seja alcançado, o Kickante devolve a doação para todos os contribuintes.
 

Mais Meio Ambiente