PUBLICIDADE
Topo

Mutação de margaridas de Fukushima pode ter acontecido por causas naturais

Margaridas nasceram faciadas, algo comum na natureza - San Kaido/Reprodução Twitter
Margaridas nasceram faciadas, algo comum na natureza Imagem: San Kaido/Reprodução Twitter

Juliana Passos

Do UOL, em São Paulo

24/07/2015 21h20

As imagens de margaridas 'mutantes' fotografadas na região de Fukushima, no Japão, onde um acidente nuclear ocorreu após um terremoto em 2011, podem não ser o que parecem. A foto foi publicada no twitter por um usuário japonês no dia 27 de maio e repercutiu nas redes sociais. Normalmente ele posta informações sobre radiação e quando as pessoas viram a foto já consideraram que a radiação teria causado a má-formação. A foto foi tirada a 112 quilômetros de Fukushima. A causa da má-formação pode ser um fenômeno chamado faciação.   

Os biólogos ouvidos pelo UOL explicam que o fenômeno é recorrente na natureza e que determinar a relação com materiais radiotivos é precipitado. O formato como cresceram as flores é bastante conhecido e chamado de faciação.

"Não temos as informações necessárias para saber se estas flores incomuns são o resultado de mutações genéticas, muito menos para saber se estas mutações são o resultado da radiação proveniente de Fukushima", disse o coordenador do Laboratório de Fisiologia Molecular de Plantas do Instituto de Química da USP (Universidade de São Paulo), Carlos Hotta.

O pesquisador do Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética da Unicamp (Universidade de Campinas) Cleverson Matiolli explica que esse tipo de formação traz desvantagens reprodutivas para a planta, e por isso, encontrar plantas nesse formato é raro. As mutações podem ter diversas causas, segundo Matiolli. Desde os raios ultra-violetas emitidos pelo sol, até fatores ambientais, infecções por vírus e bactérias. Para ele, não há razão para alarme sem uma investigação adequada.

Meio Ambiente