Após confirmar Doria, PSDB impõe taxa de R$ 45 mil para prévias em SP

Janaina Garcia

Do UOL, em São Paulo

  • Nilton Fukuda/Estadão Conteúdo

    Doria durante sua inscrição nas prévias do PSDB para disputar governo de SP

    Doria durante sua inscrição nas prévias do PSDB para disputar governo de SP

O PSDB em São Paulo estipulou uma taxa de R$ 45 mil para cada um dos cinco pré-candidatos inscritos para as prévias do próximo domingo (18). A eleição interna, inédita nos 30 anos do tucanato paulista, definirá quem vai disputar a sucessão de Geraldo Alckmin no comando do Estado. Alckmin é pré-candidato à Presidência pela sigla --registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 45.

O diretório estadual fixou o valor da taxa nessa segunda-feira (12) à noite, em resolução específica sobre as prévias deste ano, logo após o registro do prefeito de São Paulo, João Doria, como pré-candidato ao governo. O valor, segundo o diretório, será usado para custear as prévias, feitas em 72 cidades do Estado. A definição do valor aconteceu também um dia antes de se encerrar, nesta terça-feira (13), o prazo final dado pelo diretório para o registro dos candidatos à disputa interna.

Não é a primeira vez que esse tipo de cobrança ocorre no partido. Nas prévias para a Prefeitura de São Paulo, em 2016 --em que Doria foi escolhido candidato --, o valor estipulado foi de R$ 20 mil para cada postulante.

O valor da taxa foi revelado ao UOL pelo presidente do Instituto Teotônio Vilela, José Aníbal, que registrou na tarde desta terça seu nome para disputar as prévias. A taxa foi confirmada pelo diretório, que não soube dizer, no entanto, se em caso de não pagamento desse valor –o prazo final para isso é esta quarta (14) –o pretendente à disputa será excluído das prévias ou terá um débito financeiro perante o partido. Segundo o Estadão Conteúdo, até agora, nenhum pré-candidato fez o pagamento.

Aníbal acusou a executiva de "criar dificuldades" a adversários de Doria na disputa, já que o prefeito de São Paulo, com patrimônio declarado à Justiça Eleitoral em 2016 no valor de R$ 180 milhões, não teria dificuldades em quitar a taxa mesmo repassando mensalmente o salário que recebe como prefeito a entidades filantrópicas.

"É um absurdo um valor desses. O PSDB está se perdendo em manobrinhas para tentar criar constrangimentos e privilegiar o prefeito de São Paulo na disputa. O partido deveria se envergonhar disso, porque, no fundo, o que se quer fazer é isto: um jogo de cartas marcadas", criticou Aníbal. "Vou questionar formalmente o diretório sobre esse valor e argumentar que se trata de um despropósito a taxa nesse valor – é mais um sinal de opção do partido pelos mais ricos."

Suplente do senador José Serra, Aníbal sugeriu que o presidente estadual do partido, Pedro Tobias, "usa o cargo dele [no diretório, onde é presidente] para promover o candidato Doria". "Ele deveria ter pudor e se licenciar durante as prévias", disse.

Sobre as declarações feitas hoje pelo prefeito de São Paulo, que afirmou que quem o critica por desejar abrir mão do mandato municipal demonstra, na realidade, "uma prova de carinho", Aníbal retrucou: "Não tem nenhuma prova de carinho em criticar essa renúncia dele ao cargo; isso é desaprovação. A resposta dele é cínica".

"Aníbal não está preparado para perder", diz presidente do PSDB-SP

Ao UOL, o presidente estadual do partido, deputado estadual Pedro Tobias, rebateu as críticas de Aníbal sobre suposto favorecimento a João Doria e defendeu que a taxa cobrada "não é uma novidade no partido", ainda que o valor tenha sido definido só ontem.

"Ele [Aníbal] não está preparado para perder. Se ele tem essa força, que chame o diretório e sugira meu afastamento", propôs o presidente estadual.

O cara quer sair candidato a governador de São Paulo se não pode pagar uma taxa dessas?
Pedro Tobias, presidente do PSDB-SP

De acordo com Tobias, o valor da taxa servirá para arcar com "custos operacionais" da organização das prévias, tendo em vista que a votação acontecerá em 121 pontos (ou "zonais") localizados em 72 cidades –capital, grande São Paulo e interior --das 9h às 16h. Desses pontos, 50 são na cidade São Paulo. Têm direito a voto todos os mais de 200 mil filiados do PSDB no Estado, ainda que o diretório considere membros ativos cerca de 80 mil.

Além de Doria e Aníbal, estão inscritos para as prévias do próximo domingo o prefeito de Praia Grande (Baixada Santista), Alberto Mourão, o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, e o cientista político Luiz Felipe d´Ávila.

Indagado se o valor não prejudica candidatos com patrimônio inferior ao de Doria, o presidente do PSDB paulista minimizou. "O cara quer sair candidato a governador de São Paulo se não pode pagar uma taxa dessas? O partido não tem dinheiro, não pode usar o fundo de eleição para isso, e uma parte desse valor está comprometido. Isso é desculpa. E José Aníbal não é pobre. Se ele quer ser candidato a governador, precisa ajudar a montar a estrutura para isso no Estado", afirmou Tobias.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos