Topo

Após defender Lula, Gleisi tem bate-boca com Ana Amélia no Senado

Mirthyani Bezerra

Do UOL, em São Paulo

28/11/2018 16h33

As senadoras Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Ana Amélia (PP-RS) protagonizaram um bate-boca durante sessão plenária no Senado na tarde desta quarta-feira (28). A discussão acalorada começou quando, da tribuna, Gleisi defendia o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmando que ele "deu dignidade ao povo brasileiro" e que por isso "vocês prenderam ele", referindo-se aos senadores da casa.

"É por isso que ele está preso, é por isso que vocês prenderam o Lula, porque vocês não iam aguentar um debate com o Lula na campanha eleitoral", disse a senadora petista. Preso, o ex-presidente teve barrado o registro de candidatura à Presidência pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pouco mais de um mês antes do primeiro turno eleitoral. Ele foi substituído por Fernando Haddad, que perdeu no segundo turno para Jair Bolsonaro (PSL). 

Ana Amélia tentava interromper Gleisi Hoffmann durante vários momentos de sua fala da tribuna do Senado quando após essa fala da petista pediu um "aparte". "Por favor, senadora, estou lhe pedindo um aparte", pediu.

"Não, senadora Ana Amélia, eu não vou lhe dar um aparte, eu quero terminar o meu pronunciamento dizendo...", disse Gleisi. Ana Amélia falou por cima da fala de Gleisi: "Eu só quero lhe dizer que o Brasil tem vergonha da corrupção, e dos 13 milhões de desempregados".

Leia também: 

Gleisi pediu que ela se inscrevesse para poder falar na tribuna. "Eu escuto as suas baboseiras e as besteiras que a senhora fala nessa tribuna e respeito. E peço que a senhora respeite. Presidente, por favor, respeite a minha palavra", disse a petista enquanto é chamada de mentirosa pela senadora do PP, que foi candidata a vice-presidente na chapa encabeçada por Geraldo Alckmin (PSDB).

O senador Cidinho Santos (PR-MT), que presidia a mesa nesta quarta-feira, respondeu a Gleisi que havia prorrogado o tempo de fala e pediu para que ela concluísse para, assim, dar a palavra a Ana Amélia, o que desagradou Gleisi. "Só se ela tiver inscrita, o senhor não pode passar a palavra para ela se ela não tiver inscrita para me rebater", disse.

"Eu já dei à senhora 15 minutos de tempo", justificou Santos.

"Se ela quer falar, ela tem todo o direito de falar. Ela se inscreve e vem aqui na tribuna", afirmou Gleisi enquanto Ana Amélia repetia da sua cadeira que a petista não aceitava o contraditório.

Gleisi continuou a discussão afirmando que aceita sim o contraditório, mas que já conhece as posições da senadora, que "vem agredir e falar que o PT é corrupto".

"A senhora está dizendo que eu sou golpista, senadora. Votei no impeachment de Dilma e ela foi julgada pelos eleitores de Minas Gerais. Os eleitores de Minas Gerais responderam, senadora", disse Ana Amélia em tom alterado enquanto Gleisi dizia que ela havia contribuído para o aumento da pobreza que era tema do discurso da petista antes do embate entre as duas.

A senhora colaborou com a pobreza, com isso aqui. Apoia os retrocessos desse governo. É uma vergonha

Gleisi Hoffmann

Vergonha é o PT, vergonha é a corrupção

Ana Amélia

Vergonha é a fome. A corrupção é vergonha e a fome também. E vocês nunca fizeram nada contra a fome

Gleisi Hoffmann

Ana Amélia passou a elencar os escândalos envolvendo os governos do PT como o mensalão e as fraudes na Petrobras. Gleisi rebateu, dizendo que a senadora deveria ter vergonha de manter "um discurso de uma nota só".

Sentado na mesa do plenário, Cidinho Santos não interferiu em nenhum momento no debate acalorado entre as duas. Apenas após vários minutos de discussão, o microfone de ambas foi cortado. "Está encerrado o pronunciamento da senadora Gleisi, vamos dar sequência aos pronunciamentos", disse, sem dar a palavra a Ana Amélia como havia prometido. 

Política