Alvaro Dias diz estar com bolso "um pouco vazio" para campanha presidencial

Lucas Borges Teixeira

Colaboração para o UOL

O senador e pré-candidato à Presidência Alvaro Dias (Podemos-PR) diz estar com o "bolso um pouco vazio" para a campanha presidencial de outubro.

Na sabatina promovida pelo UOL, Folha de S. Paulo e SBT nesta segunda-feira (7), o pré-candidato afirmou ainda não saber de que forma financiará a sua campanha.

"Eu não tenho ideia de quanto vou gastar, depende de quanto arrecadar de doações. Nós vamos usar esse aplicativo para doações", afirmou o senador. "O bolso é um pouco vazio."

Com um patrimônio declarado à Justiça Eleitoral em pouco mais de R$ 2,9 milhões em 2014, Dias teve a segunda campanha ao Senado mais cara do Paraná, embora tenha sido a nona mais barata do país.

A campanha, então ainda pelo PSDB, custou R$ 2,9 milhões, de acordo com as informações declaradas ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Joel Malucelli, atual suplente de Dias, foi o maior doador da sua campanha, com doação total de R$ 745.566.

A J.Malucelli Equipamentos, empresa do grupo de Joel Malucelli, doou separadamente R$ 511.211. O Bradesco foi o segundo maior doador.

Alvaro Dias investiu cerca de R$ 100 mil na sua campanha, enquanto seu concorrente Marcelo Beltrão (MDB) teve uma campanha de R$ 6,5 milhões, dos quais 99% foram financiados pelo próprio candidato.

O senador, no entanto, errou ao falar dos custos por voto em sua campanha ao Senado em 2014. "Se for proporcional a voto, eu tenho certeza que [minha campanha] foi a mais barata", afirmou, mas a informação é falsa.

Na campanha ao senado de 2014, o senador Alvaro Dias teve o quarto menor custo por voto - valor diretamente ligado à competitividade da disputa. Eleições muito disputadas, com mais de um candidato ou candidata com alta chance de vitória, costumam aumentar os gastos com a campanha. A senadora Kátia Abreu (PMDB-TO), por exemplo, teve o voto mais caro entre os candidatos eleitos ao Senado em 2014. Abreu ganhou a eleição com uma diferença de apenas 5.932 votos do segundo colocado na disputa estadual. Na ponta oposta, Romário, que teve o menor custo por voto, ganhou a eleição com uma larga vantagem, levando 3,17 milhões de votos a mais do que o segundo colocado no Rio de Janeiro.

Hoje, o senador tem um salário bruto de R$ $ 33.763, fora bonificações como gratificação natalina (mais de R$ 7 mil) e passagens aéreas, dos quais ele já gastou mais de R$ 344 mil em três anos e meio de mandato.

Sabatinas com pré-candidatos à Presidência começam nesta segunda

Esta é a terceira eleição consecutiva em que o UOL, maior empresa brasileira de conteúdo, serviços e produtos da internet, a Folha de S.Paulo, maior jornal no país, e o SBT, emissora com a segunda maior audiência da TV aberta brasileira, repetem a parceria para promover debates e sabatinas com os candidatos à Presidência da República.

As regras de participação nas sabatinas e debates foram definidas em reunião na sede do SBT no dia 22 de março, com representantes de 18 dos 35 partidos registrados no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Foram convidados os seis candidatos à Presidência mais bem colocados na pesquisa Datafolha divulgada em 16 de abril. Com a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que lidera a pesquisa, Alvaro Dias, o sétimo colocado no levantamento, foi convidado.

No próximo dia 11 de maio, acontece a sabatina com a pré-candidata Marina Silva (Rede).

No dia 21 de maio, será a vez de Ciro Gomes (PDT).

Geraldo Alckmin (PSDB) e Jair Bolsonaro (PSL) ainda não confirmaram a data de participação. Joaquim Barbosa (PSB) ainda não confirmou a pré-candidatura.

SABATINAS COM CANDIDATOS AO GOVERNO DE SP

Depois dos presidenciáveis, UOL, Folha e SBT farão sabatinas com quatro pré-candidatos ao governo de São Paulo, nas seguintes datas:

28 de maioLuiz Marinho (PT)

30 de maioMárcio França (PSB)

6 de junhoJoão Doria (PSDB)

8 de junhoPaulo Skaf (MDB)

DEBATES

O debate de primeiro turno entre os políticos que disputarão a eleição está previsto para o dia 26 de setembro. Em um eventual segundo turno, o debate será realizado no dia 17 de outubro. Os dois eventos terão duração de uma hora e vinte e cinco minutos (das 18h20 às 19h45) e serão realizados no estúdio do SBT.

A transmissão ao vivo será feita em TV aberta, nos sites do UOL e da Folha e também em perfis dos três veículos em redes sociais. Jornalistas dos três veículos também participarão fazendo perguntas.

"Para a Folha, a participação dos jornalistas é fundamental", disse Roberto Dias, secretário de Redação da "Folha de S.Paulo".

Primeiro debate online do Brasil

Em 2010, Folha e UOL realizaram o primeiro debate da internet brasileira com candidatos à Presidência da República. Em 2012, em parceria com o SBT, o UOL realizou um debate com os candidatos à Prefeitura de São Paulo.

Em 2014, também na disputa presidencial, o debate foi feito em parceria entre UOL, Folha, SBT e a rádio Jovem Pan. Nas últimas eleições municipais, em 2016, UOL, Folha e SBT também promoveram debates com candidatos à Prefeitura de São Paulo.

Veja íntegra da sabatina com Alvaro Dias

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos