PT vai priorizar candidatura de Lula em detrimento de campanhas estaduais

Carlos Eduardo Cherem

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

  • Douglas Magno/AFP Photo

    Cúpula do PT se reuniu em hotel em Belo Horizonte

    Cúpula do PT se reuniu em hotel em Belo Horizonte

A executiva nacional do PT vai priorizar a candidatura à Presidência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em detrimento das campanhas nos estados.

A cúpula do partido reuniu-se neste sábado (9) num hotel da zona sul de Belo Horizonte e, em documento divulgado após a reunião, afirmou que, além de priorizar a campanha de Lula, a legenda tem a opção preferencial de fazer uma aliança nacional com o PSB e o PCdoB.

Segundo o líder da legenda na Câmara dos Deputados, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), que foi o porta-voz da legenda após a reunião da executiva, essa diretriz, subordinando as composições nos estados à eleição de Lula, vai também definir o nome do candidato a vice, que não deverá ser do PT. 

Pimenta não descartou, nessa estratégia, o nome da pré-candidata a presidente pelo PCdoB, deputada Manuela D'Ávila (PCdoB-RS) para completar a chapa do ex-presidente, embora não descarte outros nomes, a exemplo do ex-prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda (PSB) e do empresário Josué Alencar (PR), filho do ex-presidente José de Alencar (1931-2011).

De acordo com documento acordado durante a reunião da executiva, "o agravamento constante da crise política, econômica e social do país confirma o acerto do PT em sustentar, como prioridade absoluta, a candidatura do companheiro Lula à Presidência da República".

"Está clara, portanto, a primazia do projeto nacional sobre as disputas regionais. Toda e qualquer definição de candidaturas e política de aliança nos estados terá que ser submetida antecipadamente à Comissão Executiva Nacional", informa o documento.

Paulo Pimenta não quis comentar possíveis nomes da legenda, que seriam impedidos de serem candidatos, a exemplo da vereadora em Recife, Marília Arraes, que pleiteia candidatar-se ao governo de Pernambuco pela legenda em outubro.

"A evolução da conjuntura tem mostrado que nosso candidato, mesmo preso injustamente, lidera a disputa presidencial com larga vantagem, registrando nas pesquisas um percentual maior que a soma das intenções de votos de todos os demais candidatos", diz o documento.

Segundo os critérios que foram definidos pela executiva, o PT vai "construir palanques estaduais com partidos de centro-esquerda, preferencialmente com PSB, PCdoB e outros partidos que apoiem Lula, sempre de acordo com a tática eleitoral nacional".

Paulo Pimenta ainda explicou que o partido fará sua convenção nacional em 28 de julho e vai inscrever a candidatura de Lula na Justiça Eleitoral no último dia do prazo, 15 de agosto. Até lá, a orientação é que os partidos acelerem as negociações para fechar as alianças nos estados.

"O debate que ocorrer nos estados estará subordinado a essa estratégia: a candidatura de Lula", disse Pimenta.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos