Topo

Lendo discurso em iPad, Gleisi se despede do Senado e agradece "companheirismo"

Reprodução/TV Senado
Senadora Gleisi Hoffmann lê discurso de despedida do Senado no iPad Imagem: Reprodução/TV Senado

Do UOL Notícias<br>Em São Paulo

2011-06-08T14:50:41

2011-06-08T16:44:12

08/06/2011 14h50Atualizada em 08/06/2011 16h44

Senadora usa iPad em despedida; assista

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) lançou mão de um iPad para ler o discurso que fez no Senado para se despedir dos colegas parlamentares no começo da tarde desta quarta-feira (8), data em que será empossada como nova ministra-chefe da Casa Civil, substituindo Antonio Palocci, que pediu afastamento do cargo na noite desta terça-feira (7).

A fala da política teve tom de agradecimento, ela enalteceu o poder do Legislativo, lembrou momentos marcantes de seu mandato, e afirmou que segue confiante para o novo desafio. Lendo as frases na tela do dispositivo eletrônico, ela se disse grata ao "companheirismo" dos senadores. Seu tablet, com capa preta, combinava com a roupa escura da senadora.

Gleisi também negou o rótulo de ser um “trator” na defesa dos interesses do governo e disse esperar o apoio o Senado para desempenhar a nova função. “Não considero essa a melhor metáfora [trator] para quem exerce a política e sempre se dispôs a debater, ouvir e construir consenso”, discursou. “A manifestação democrática é o maior instrumento que temos para avançarmos no desenvolvimento do nosso país e acredito que o desfecho dela é a decisão da maioria. Gostaria de manter a convivência respeitosa que iniciamos nesta Casa.”

A senadora afirmou ainda reconhecer o peso de assumir a Casa Civil e disse estar preparada para o cargo. “Quis Deus, por intermédio da presidenta [Dilma Rousseff], que eu ficasse mais próxima para esse auxílio e tenho muita clareza dessa missão. A quem é muito é dado, muito será cobrado.”

Gleisi ressaltou que defendeu o governo no Senado não apenas por pertencer ao mesmo partido da presidenta, mas também por acreditar no modelo “de desenvolvimento econômico inclusivo, no qual as pessoas são o objetivo maior”. “A presidente Dilma me confiou uma nova missão e vou cumpri-la, levando em conta muito do que aprendi no Senado. Assim como a presidente, a minha caminhada tem uma razão de ser, que é a favor do Brasil e do seu futuro.”

A senadora paranaense também elogiou o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e os líderes do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), e do PT, Humberto Costa (PE). Gleisi ainda fez “deferência” à oposição, com a qual teve debates duros. “Mas prevaleceu sempre a convivência democrática. Viver exposta ao contraditório é condição da vida parlamentar e da vida democrática.”

Do ex-presidente Fernado Collor (PTB-AL), que assistiu ao discurso do plenário, ela ouviu elogios por sua "capacidade de trabalho" e "tenacidade". A substituta de Palocci retrucou dizendo que "aprendeu muito" com a convivência do alagoano.

Delcídio do Amaral (PT/MS) foi outro que destacou as qualidades da senadora. "É um dos melhores quadros do Partido dos Trabalhadores", afirmou. Garibaldi Alves (PMDB-RN) disse que escolhia não felicitar a ministra-chefe da Casa Civil e sim a presidente Dilma, fazendo referência à escolha de Gleisi para o cargo.

A paranaense lembrou de agradecer também ao senador Itamar Franco, que telefonou para parabenizá-la, e que está internado em um hospital de São Paulo para realizar sessões de quimioterapia.

Ao final de sua fala, a petista brincou que devido ao alongamento dos discursos, ela poderia perder a própria posse.

Mais Política