Topo

Toffoli errará se julgar mensalão, diz ex-ministro do STF

Fábio Brandt

Do UOL, em Brasília

02/08/2012 07h00

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Francisco Rezek disse nesta quarta-feira (1) que o ministro Dias Toffoli cometerá um erro se não se declarar impedido de julgar o caso do mensalão.

Rezek falou sobre o assunto no “Poder e Política”, projeto do UOL e da Folha conduzido pelo jornalista Fernando Rodrigues no estúdio do Grupo Folha em Brasília.

 

Toffoli foi no passado advogado do PT. Também assessorou na Casa Civil o ex-ministro José Dirceu, apontado pela Procuradoria-Geral da República como chefe de uma quadrilha que operaria o mensalão.

Questionado se Toffoli errará caso não se declare impedido, Rezek respondeu: "Eu acho que sim. Mas eu creio, pelo que conheço do ministro, e das provas inúmeras de sensatez que deu até hoje, que ele não deixará de fazê-lo".

Na entrevista, o ex-ministro disse também que o processo do mensalão pode render condenações, maiores ou menores, para todos os 38 réus.  Mas ele afirmou que dificilmente algum condenado será preso.

“É possível que ninguém seja apenado com a privação de liberdade. É possível que outras penas se apliquem considerando um fato concreto: todos ali, tanto que eu saiba, tanto quanto tenha transparecido, todos são réus primários. Ninguém ali foi, um dia na vida, objeto de uma condenação em caráter irrecorrível no foro criminal”, afirmou

A seguir, vídeos da entrevista (rodam em smartphones e tablets). A transcrição completa da entrevista também está disponível.

 

1) Quem é Francisco Rezek? (0:57)

2) Mensalão é o caso mais midiático do STF, diz Rezek (0:56)

3) Demora em julgar mensalão é inevitável, diz Rezek (1:46)

4) Manter os 38 réus no STF é constitucional, diz Rezek (3:25)

5) Para ex-ministro, mensalão não influencia eleição (1:33)

6) Toffoli errará se julgar mensalão, diz Rezek (3:09)

7) Mensalão: penas prescrevem no fim de 2012, diz Rezek(1:14)

8) Rezek: prisão é ‘improvável’ para os 38 mensaleiros (2:25)

9) Provar compra de voto não é essencial, diz Rezek (2:48)

10) Zé Dirceu não era nº 2, diz Rezek (2:06)

11) Os 38 réus do mensalão merecem condenação, diz Rezek (2:59)

12) É constitucional Peluso adiantar voto, diz Rezek (2:26)

13) Reunião com Gilmar e Jobim foi gafe de Lula, diz Rezek (3:18)

14) Poder e Política – Entrevista: Francisco Rezek, íntegra 36 min.

 

 

Acompanhe Fernando Rodrigues no Twitter no Facebook.

 

Mais Política