Topo

Marco Maia diz que é melhor governo "não se meter" na votação dos royalties

Da Agência Câmara, em Brasília

2012-10-31T11:07:40

2012-10-31T11:21:09

31/10/2012 11h07Atualizada em 31/10/2012 11h21

O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), disse há pouco que é melhor o governo não se envolver na discussão sobre o projeto que redistribui os royalties do petróleo (PL 2565/11), porque esse é um assunto do Congresso. Ele se referia a um “boato” de que o governo impediria a votação da Medida Provisória (MP) 574/12, prevista para esta manhã, para evitar o destrancamento da pauta e a consequente votação do projeto dos royalties.

“É melhor o governo não se meter, não se envolver”, disse Maia. “Se for essa a estratégia do governo (impedir a votação da MP), no que não acredito, não vai funcionar.”

O presidente afirmou que não haverá votação de nenhuma MP em comissão mista enquanto o projeto dos royalties não for votado pelo Plenário. E que vai convocar, hoje, quantas sessões extraordinárias forem necessárias para votar o projeto, que, conforme ressaltou, já foi suficientemente discutido na Câmara.

Marco Maia acrescentou que é melhor para o Rio de Janeiro e para o Espírito Santo a votação da proposta do relator, deputado Carlos Zarattini (PT-SP), pela qual esses Estados não perdem recursos. Do contrário, afirmou Maia, poderá ser votada a emenda Ibsen, como ficou chamada a divisão igualitária dos royalties entre todos os Estados.

Mais Política