Topo

Temer diz que governo ''está prestando atenção'' nos protestos; PT não fala

Do UOL, em São Paulo

2015-04-12T18:20:45

2015-04-12T22:46:34

12/04/2015 18h20Atualizada em 12/04/2015 22h46

O vice-presidente Michel Temer (PMDB) afirmou neste domingo (12) que o governo "está prestando atenção nas manifestações". A declaração foi dada em Porto Alegre, na saída do velório do ex-senador e ex-ministro Paulo Brossard, que morreu hoje.

"Nós temos que estar muito atentos a essas manifestações. O governo está prestando atenção a essas manifestações", disse Temer.

Assessores de Dilma Rousseff informaram que a presidente não iria se manifestar, assim como o Diretório Nacional do PT informaram neste domingo (12) que não comentariam os protestos realizados em 24 Estados e DF (Distrito Federal).

O silêncio adotado agora difere dos discursos ocorridos após as manisfestações de 15 de março, quando os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Miguel Rossetto (Secretaria-Geral da Presidência) concederam uma entrevista coletiva avaliada posteriormente como desastrosa até por assessores da presidente.

Os protestos reuniram meio milhão em todo o país. Segundo o blogueiro do UOL Josias de Souza, um ministro que integra o grupo de coordenação da gestão Dilma Rousseff disse que, dessa vez, o governo decidiu “não cutucar a rua com vara curta". 

Mais cedo Dilma usou seu perfil em rede social para afirmar que "o combate à corrupção é meta constante" de sua gestão.

Em 15 de março, os ministros trataram os protestos como "legítimos", mas Rossetto disse que os atos partiram majoritariamente de um setor crítico ao governo Dilma Rousseff e que não votou na presidente.

"As manifestações contrárias ao governo são legítimas. O que não é legítimo é o golpismo, a intolerância, o impeachment infundado que a agride a democracia", disse Rossetto, na ocasião.

Durante a fala dos ministros, que foi transmitida ao vivo, houve um panelaço em cidades do país.

Mais Política