Topo

Leia a íntegra da delação de Delcídio que cita Lula, Dilma, Aécio e Mercadante

Veja quem Delcídio do Amaral acusa em sua delação premiada

UOL Notícias

Do UOL, em São Paulo

15/03/2016 14h39

A deleção premiada do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), homologada nesta terça-feira (16) pelo STF (Supremo Tribunal Federal), traz citações à presidente Dilma Rousseff, ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), e ao ministro da Educação, Aloizio Mercadante.

O acordo de colaboração prevê que Delcídio possa continuar a exercer o mandato de senador e limita a 15 anos de prisão o tempo máximo de pena a que ele pode ser condenado ao fim do processo.

O acordo determina que ele permaneça em regime de prisão semiaberto domiciliar por um ano e seis meses, dormindo em casa, mas podendo sair para exercer o mandato.

Delcídio não pode manter contatos reservados com outros réus e investigados da Lava Jato, a não ser que por força da atividade parlamentar e na presença de duas ou mais testemunhas. Atualmente 38 deputados e senadores são alvo da Lava Jato, incluindo o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Também foi permitido que ele parcele em até dez anos a multa de R$ 1,5 milhão que foi obrigado a pagar em decorrência das irregularidades investigadas. Esse valor será dividido em 80% para a Petrobras e 20% para a União.

Mais Política